rss
email
twitter
facebook

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A Mãe de Deus


A igreja corretamente chama Maria pelo título de “Mãe de Deus”. Mas o termo é um tanto ambíguo e pode ser facilmente mal interpretado. Alguns protestantes podem precisar de uma pequena explicação, enquanto alguns católicos podem se beneficiar com uma gentil admoestação contra seu uso incorreto.

O Credo de Calcedônia, 451 d.C., inclui o termo grego “theotokos” para definir a identidade de Cristo. “Theotokos” significa literalmente “portadora de Deus”, que é imprecisamente traduzido para o latim como “Mater Dei” – Mãe de Deus. O termo foi usado para realçar o fato de que a criança nascida de Maria era realmente Deus e assim evitar o erro de dizer que Cristo era duas pessoas em um corpo ao invés de uma. Esta heresia, “Nestorianismo”, foi condenada no Primeiro Conselho de Éfeso em 431 d.C.

O Credo afirma que Cristo foi “gerado segundo a divindade pelo Pai antes de todos os séculos, e nestes últimos dias, por nós e para nossa salvação, nascido da Virgem Maria, mãe de Deus, segundo a humanidade.”

O credo não ensina que Maria é a mãe da divina natureza de Cristo. Como Deus, Cristo não tem início nem mãe. De fato o credo explicitamente diz que Ele foi gerado “antes de todos os séculos”. Além disso, o credo qualifica o significado de “theotokos” com a frase “segundo a humanidade”, ou, numa outra tradução, “nascido da virgem Maria, que é portadora de Deus em respeito a humanidade dele”. É apenas a natureza humana de Cristo que se relaciona com Maria, de quem Ele nasceu e era descendente.

Reconhecidamente Católicos e Evangélicos estão unidos na doutrina de Cristo. Nós cremos que nosso Senhor é uma Pessoa única. Ele é eternamente Deus; Ele também se tornou homem. Então é igualmente correto lhe chamar de ambas as formas, “Deus” e “homem”, e por esta razão, não hesitamos em chamar a sua mãe de Mãe de Deus.

Infelizmente alguns têm usado esse termo de forma errada para atribuir a Maria um papel o qual o Senhor nunca pretendeu. Alguns católicos acham que Maria tem uma autoridade maternal sobre seu Filho e por isso pedem à Maria que interceda por eles, porque crêem que Ele nunca vai desobedecer as ordens de sua mãe.

Surpreendentemente em seus dias de humilhação, o filho de Deus não apenas se tornou um bebê, mas como criança se submeteu à autoridade de suas criaturas – seu suposto pai, José, e sua mãe, Maria. Claro que Ele não mais se encontra sob tal autoridade paternal. Até mesmo durante seu ministério público terreno, Ele foi guiado apenas pelo Espírito Santo para fazer a vontade do Pai. Agora, após a ressurreição e ascensão, Cristo está sentado à direita da Majestade e tem todo poder sobre sua igreja e criação. Maria não tem autoridade sobre Jesus, pelo contrário, Jesus é o Senhor e Salvador de Maria.

Portanto, vamos manter nossos olhos fixos em Jesus. Lembremo-nos que para nossa salvação Ele nasceu da abençoada virgem mãe, e foi feito humano como nós, para que pudesse ser pregado em uma cruz e derramar seu sangue inocente por nossa redenção. Também devemos lembrar que o homem Cristo Jesus não é nenhum outro senão o eterno Filho de Deus. Ele não ignora as súplicas de seu povo, nem reluta em salvar aqueles que vão ao Pai através dEle. Vamos com confiança para Cristo. Devemos crer nEle com nossas almas e O louvar como nosso Deus.

por Dr. Joseph Mizzi

Fonte: Monergismo

7 comentários:

Josiel Dias disse...

Olá meus queridos Irmãos.
A Paz do Senhor Jesus Cristo.
Fiquei muito feliz em conhecer este espaço abençoador.
É o que sempre digo: Aprendendo uns com os outros crescemos na graça e no conhecimento.
Gostaria também de compartilhar o nosso blog
" Mensagem Edificante para Alma"

http://josiel-dias.blogspot.com/

Gostaria da visita e comentarios dos meus irmãos.

Josiel Dias
Cons Missionário
Congregacional
Rio de Janeiro

Djalma de Jesus disse...

Amém meu irmão, vai ser um prazer!

Josiel Dias disse...

Olá Meu irmão Dijalma. Graça e Paz.

Muito obrigado por ter nos adicionado. Deus abençoe.

Muito bom seus posts. Estarei visitando ete espaço sempre que possível.

Josiel Dias
Cons Missionário
Congregacional]
Rio de Janeiro

Josiel Dias disse...

Olá Meu irmão Dijalma. Graça e Paz.

Muito obrigado por ter nos adicionado. Deus abençoe.

Muito bom seus posts. Estarei visitando ete espaço sempre que possível.

Josiel Dias
Cons Missionário
Congregacional]
Rio de Janeiro

Anônimo disse...

Ótimo comentário!
Os longos anos da Igreja Católica e sua 'tradição' acentuaram muitas coisas que em sua origem não seriam complicadas... até o ponto em que aquilo que se enxerga é tão diferente do original que incomoda mesmo a um católico mais centrado no culto a Trindade e não a "HIPER"dulia devida à Maria conforme o Catecismo católico! Pode-se acompanhar a medida que os séculos passam nas linhas de inúmeros autores sacros as referências cada vez mais emocionadas, emotivas, piegas em relação ao amor maternal e ao vínculo entre Jesus e sua mãe. Por outro lado, a idéia da intervenção dos que estão nos "Céus" (os Santos) no julgamento e sobretudo antes, no desenvolver das ações humanas, a partir de seus próprios méritos e proximidada à pessoa terrena do Salvador, evocando para isso as mensagens de recomendações mútuas que lemos nas epístolas e sobretudo, para Maria, a sua atuação nas Bodas de Caná... foram sendo de tal modo exageradas - a medida que se almejava uma conversão/compactação/assimilação a qualquer preço... que viver a vida de forma coerente com a mensagem cristã foi deixado de lado, importanto mais uma Dulia e Hiperdulia de gestos e ritos que abrigavam sem problemas qualquer sincretismo e mesmo a idolatria mais primária ainda que inconsciente e infantil...

Infelizmente, a Igreja Católica que gosta de se identificar com a figura do grão de mostarda e da grande árvore que cresce a partir dele, hoje ela apresenta apenas uma pequena parte de tecido vivo e muita lenha que dá sombra e prejudica as plantas verdadeiras e dificulta o acesso ao Reino... o quanto dessa grande mas ressequida árvore vai sobrar depois da Tribulação? O quanto ela ajuda a trazer sobre o cristianismo essa possibilidade profética como uma realidade para os nossos dias?

Moacir Shepper disse...

Para: "Anônimo"
De: Moacir Shepper

Meu querido, você diz que a Igreja Católica "exagera" e que "é diferente" em relação ao Culto Mariano. Pois bem, vejamos a diferença: Santo Atanásio (c. 296-373)
Ser consciente de nós, Santíssima Virgem, que após o parto fizeste permanecer virgem; e conceder-nos para estas pequenas palavras grandes presentes a partir das riquezas de que graças, ó tu cheio de graça. Aceitá-los como se fossem verdadeiras e louvores adequadas honram; e se há neles alguma virtude e algum louvor, nós oferecê-los como um hino de nós mesmos e de todas as criaturas para ti, cheia de graça, Senhora, Rainha, Senhora, Mãe de Deus, e Arca de santificação "( Orat. In DEIP. Annuntiat, nn. 13, 14. Int. Opp. S. Athanasii) ( Bem-aventurada Virgem , p. 80).

Santo Anastácio também diz:
"O nobre Virgem, realmente você é maior do que qualquer outra grandeza. Para quem é seu igual em grandeza, ó morada de Deus da Palavra ? Para quem entre todas as criaturas eu comparo você, ó Virgem? Você é maior do que todos eles A Arca da Aliança, vestidos com pureza, em vez de ouro! Você é a arca em que se encontra o vaso de ouro contendo o verdadeiro maná , ou seja, a carne em que a Divindade reside. " Homilia do Papiro deTurim.

São Metódio (815-885)
" Por isso é que a Arca de Deus removido de estábulo em Belém . . . e descansou sobre os montes de Sião; e receber em seu puro seio como em cima de uma sublime trono, como transcende a natureza do homem, o monarca de tudo, ela o presenteou há a Deus Pai-the-parceiro de joint Filho do Seu trono, e inseparável Dele-junto com que pura e imaculada carne que Ele tinha de seu assumido .... Ela vai lá em cima antes do templo, ela que era mais exaltado do que o templo, vestido de uma glória, a dupla glória, quero dizer, da virgindade imaculada, e que de inefável fértil, a bênção da Lei, ea santificação da graça ....
/
" Tremendo, verdadeiramente, é o mistério ligado a ti, ó Mãe Virgem, tu trono espiritual, glorificado e dignos de Deus. .. . E as vergas de portas, diz o profeta, foram levantadas com a voz de eles que chorei. por que é significado o véu do templo ofuscando antes da arca da Aliança, que te tipificado .... Pois se à arca , que foi a imagem eo tipo da tua santidade, tal honra foi dada por Deus, que a ninguém, mas à ordem sacerdotal foi o acesso a ele aberto, ou ingresso permitido eis que o véu que separa-lo, e mantendo o vestíbulo como a de uma rainha- tipo como é grande, eo que de veneração é devido a ti a partir de nós, que somos de todos o mínimo, para ti que és realmente uma rainha , a ti que és, na verdade, a Arca viva de Deus , a Legislador; a ti que tens em verdade se tornar o céu que contém naquele que pode ser contido de nenhum? "(São Metódio, Orat. de Simeone et Anna ii. Patr. Graec. Tom. 18, p. 332. ( Bem-aventurada Virgem , p. 153).

Realmente, Arca da Aliança, Rainha, etc. A única diferença que vejo entre os Católicos de hoje e os Primeiros, é que antes Nossas palavras eram mais bonitas! Pois tudo que foi dito nesses textos que passei é ensinado até hoje. Uma vez Eramasmo de Roterdan disse para Lutero "Se essa sua doutrina vingar (Sola Scriptura) no futuro o Cristianismo se converterá num amontoado de seitas" você vem de um amontoado desses e vem falar da Igreja Edificada em Pedro? Vai procurar a VERDADE!

Unknown disse...

ANTIGO TESTAMENTO NOVO TESTAMENTO
Eva Maria
Virgem Virgem
Mulher Mulher
Imaculada Imaculada
Após a vinda do Anjo Após a vinda do Anjo
Pecado Salvação

Eva, pela desobediência atou [fez] o nó da desgraça do gênero humano. Maria pela obediência o desatou – Santo Irineu (século II).

Todas as gerações me proclamarão “Bem aventurada”. - Evangelho de São Lucas 1:
46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, 47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, 48. porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, 49. porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. 50. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. 51. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. 52. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes. 53. Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos. 54. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, 55. conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre.

Jesus, carne de Maria. Ela deu seu sangue e o leite daquele peito para amamentá-Lo.
Não adoramos Maria e sim a veneramos. Adoramos sim a Deus.Quando São José aceitou viver a castidade com Maria lhe foi garantida a paternidade adotiva de Jesus pela sua parte.

Nossa Senhora da Rosa Mística, rogai por nós!