rss
email
twitter
facebook

sábado, 11 de dezembro de 2010

Batismo infantil, prática da igreja primitiva

A prova de que esta prática existia, pelo menos desde cedo, está na condenação que dela faz Tertuliano.
Perto do ano 200, este severo teólogo condenou o costume de batizar crianças.
Não haveria a condenação se a prática não estivesse difundida.
Hipólito (169-235), em sua obra “Tradição Apostólica” (215 d.C), recomenda: "Sejam batizadas, primeiramente as crianças"


A oposição regular veio dos Anabatistas. Estes condenavam os Reformadores porque, tendo recebido o batismo na Igreja Católica, ao tornarem-se protestantes não se tinham voltado a batizar e ainda mantiveram nas novas Igrejas a prática pedobatista. Calvino, que também fora batizado na infância e nunca aceitou um rebatismo, teve o cuidado de dedicar um longo capítulo das suas Institutas a este assunto (Livro IV, cap. XVI),
para mostrar o erro das conclusões anabatistas, que, como outros radicalismos, ameaçavam a obra da Reforma. Até por esse capítulo de Calvino podemos ver que os argumentos dos anabatistas eram os mesmos que hoje são usados contra as Igrejas que batizam crianças, mas ao grande teólogo de Genebra não faltaram textos bíblicos para justificar aquela prática.
Os Pais da Igreja, como Irineu ( século II ), por exemplo, se referem ao batismo infantil ; sendo que o próprio Orígines ( século III ) foi batizado quando criança.
Afirma Orígenes (185 - 255) sobre o batismo infantil: "A Igreja recebeu dos Apóstolos a tradição de dar batismo também aos recém-nascidos". (Epist. ad Rom. Livro 5, 9). E Cipriano, em 258, adverte: "A graça do batismo não deve ser apartada de ninguém e especialmente das crianças". (Carta a Fido).
Clemente de Alexandria (155-225), diz que o batismo se destina "a crianças pequenas"(0 Pedagogo, 195 d.C, 3:11);
No século III, um sínodo do Norte da África determinou que era permitido batizar as crianças "já a partir do segundo ou terceiro dia após o nascimento" (Epístola 64 de Cipriano).
O Sínodo de Elvira (306-312 d.C) recomenda: "As crianças devem receber o banho do batismo"
Em 418, o Concílio de Cartago declara: "Também os mais pequeninos, que não tenham ainda podido cometer pessoalmente algum pecado, são verdadeiramente batizados para a remissão dos pecados, a fim de que, mediante a regeneração, seja purificado aquilo que eles têm de nascença" (Dz.-Sch., Enquirídio, nº 223).
Já no século II a patrística trata o batismo infantil com naturalidade: Irineu de Lião (+ 202) considera óbvia, entre os batizados, a presença de "crianças e pequeninos" ao lado dos jovens e adultos (Contra as Heresias II-24,4).
Os pais da igreja de um modo geral sempre aceitaram o batismo infantil como uma prática vinda desde os tempos apostólicos e pelo menos 9 dentre 12 pais da igreja, o aceitaram foram eles: Justino Mártir, Irineu, Orígenes e posteriormente Agostinho.
Justino o Mártir (89-166), em sua "Primeira Apologia"(150 d.C), afirma que no batismo, "muitos homens e mulheres se tornaram discípulos desde crianças"(15:6); e em seu "Diálogo com Trifo"(160 d.C), diz que o batismo é uma "Circuncisão Espiritual"(43:2).
A argumentação é muito maior e forte para quem aceita essa prática do que para aqueles que não a vêem com bons olhos. Se por um lado os opositores a essa doutrina dizem não haver exemplos explícitos disso em o NT, também não há a menor referência a batismos de adultos nascidos e criados em lares cristãos.

Calvino usa os seguintes argumentos:

“O Senhor disse expressamente que a circuncisão que se administra às crianças lhe servirá de confirmação do pacto que temos exposto. Se pois, o pacto permanece sempre o mesmo, é de todo certo que os filhos dos cristãos não são menos participantes dele do que foram os judeus do AT. E se participam da realidade significada, por que não lhes a de ser comunicado também o sinal.”

“Alguns espíritos mal-intencionados se levantam contra o nosso hábito de batizar crianças, como se essa prática não tivesse sido instituída por Deus, mas se tratasse de algo inventado pelos homens recentemente, ou ao menos pouco tempo depois dos apóstolos. Em face disso, achamos que, por dever de ofício, é preciso confirmar e fortalecer, nesse ponto, as consciências fracas e refutar as falsas objeções dos enganosos oponentes, com as quais eles poderiam perverter a verdade de Deus no coração das pessoas simples, não suficientemente preparadas para contestar suas astúcias sutis e hipócritas.”

"Assim como os filhos dos judeus eram chamados linhagem santa, porque eram herdeiros da aliança e eram separados dos filhos dos incrédulos e dos idólatras, assim também os filhos dos cristãos são chamados santos, ainda que só o pai ou a mãe seja crente."

Portanto o batismo infantil é bíblico e não podemos negar ou passar desapercebidos a esse fato que é tão importante para a edificação dos membros, para o conforto de saber que nossos filhos pertencem ao pacto e traz sobre nós pais, a responsabilidade de ensinarmos os nossos filhos no caminho do Senhor.

75 comentários:

Paulo Fagundes disse...

Prezado Djalma Oliveira,

Desculpe a minha ignorância e pouco conhecimento, comparado com tamanha segurança que você demonstra em afirmar que o batismo em águas de recém nascidos é bíblico, sem indicar sequer uma referência na bíblia. Seria pedir muito irmão que você demonstrasse a luz das escrituras o que está afirmando.

Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:16

E aconteceu naqueles dias que Jesus, tendo ido de Nazaré da Galiléia, foi batizado por João, no Jordão. Marcos 1:9

E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado. Atos 9:18

E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. Atos 8:13

E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Atos 2:38

A palavra diz que aquele que crê e for batizado será salvo.

Porque o Eunuco precisou entender antes de ser batizado?

Porque Jesus então não foi batizado ainda criancinha na manjedoura?

Qual o exemplo que devo seguir?

Devo ficar tirando conclusões de acordo com a minha própria visão e fazendo um paralelo pelo que eu entendo do antigo testamento com relação ao batismo, ou devo analisar de acordo com os ensinamentos da nova aliança sobre o batismo.

Eu quero afirmações baseadas nas escrituras, e somente nas escrituras e não baseadas na sabedoria humana.

Em Cristo.

cristaoreformado disse...

Graça e paz!
Ao Paulo Fagundes ironico quero responder que Deus no pacto com Abraao foi com ele e sua descendencia (Gn 17.1-14), este pacto é perpétuo (v.13), ou seja, não deve ser quebrado. O batismo substituiu a circuncisão (Cl 2.1-12), existe um mandamento expresso dizendo que as crianças não deveriam mais entrar no pacto? não existe. O texto que o amigo escreve de Mc16.16 para dizer que a criança não pode ser batizada, o texto não fala nem em criança, mas diz que quem não crer está condenado, as crianças não podem ser batizadas por que não crêem dizem vocês, mas então pelo pelo mesmo texto estariam condenadas. "O que não crer está condenado". Sobre Jesus, foi circuncidado na infãncia, sua apresentação no templo foi para este fim e cumprir o VT de consagrar o primogenito (Lc 2.21-23), para cumprir a Lei, se é para seguir o exemplo de Jesus, seja circuncidado seu Paulo, tadinho do sr. Paulo também pelo texto foi batizado dentro da casa, e em pé "Levantando-se foi batizado", o texto grego euthus significa imediatamente, não haveria imersão, mas aspersão. Tadinho do Paulo. Estes textos tratam de pessoas que creram adultas, por isso foram batizadas adultas, o que dizer da versão siriaca Peshito da Bíblia que diz que Lídia foi batizada e as crianças de sua casa (At 16.15), outra coisa, as mentiras dizendo que o batismo foi criado pela ICAR cai por terra pelos relatos históricos bem inseridos pelo ir. Djalma desmascaram alguns imersinistas como este. Aqueles imersinistas que nos respeitam não sintam-se atingidos por este texto, mas este é para um insano que pensa ser mestre não sabendo nem o que diz. Que fazer seguir pessoas confiáveis e estudar mais a Bíblia ou usar textos sem contextos escrevendo insanidades. Tadinho do Paulo ironico, desconhece a Bíblia em sua contextualidade? Seu Paulo, tem texto bíblico ou não?

Paulo Fagundes disse...

Prezado Cristão Reformado (Você não colocou o seu nome),

Você acha que eu tentei atingir alguém? Desculpe, mas apenas disse e repito que antes de afirmar que algo é bíblico, deveria mostrar as referências nas escrituras. Em nenhum momento tive a intenção de ser irônico, mas você me deu uma aula de como ser. Primeiro nem de longe eu não me considero um mestre, e peço que me perdoe se fui incompreendido por você, mas tenho o direito de discordar e pedir uma explicação mais convincente. Se você prefere irar-se comigo, eu peço perdão, talvez não tenha colocado bem as palavras, mas continuo discordando, e vou citar mais algumas referências, mas por favor não fique descarregando a sua ira contra mim, mas trate das questões bíblicas com mais tranquilidade, entendendo que a controvérsia é saudável e não interessa a nenhum de nós criar inimizade nem clima de ódio entre blogueiros cristãos, que tem apenas o interesse de estudar as escrituras, para a sua própria edificação e a de outros.

"Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir?" Lucas 3:7

"E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?" Mateus 3:7

João se recusou a batizar aqueles homens judeus que já eram circuncidados? Por que?

Vejo que precisa um pouco de reflexão antes de qualquer pessoa declarar que a sua vida a partir deste momento será comandada pelo Senhor Jesus. O Filho de Deus já cria desde menino, mas só foi batizado adulto, vejo que isto tem um significado, mas não quer dizer que uma criança que já tenha algum entendimento não possa ser batizada, mas também será que é para ser batizado de qualquer jeito?

"Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17:11)

Você examina nas escrituras tudo o que ouve e vê? Faça isso, aja como bereiano.


"O exemplo vem do próprio cristianismo, algumas igrejas protestantes não batizam crianças porque elas não têm conhecimento suficiente para escolher se vão querer ou não seguir Jesus em sua vida. O batismo tem uma conotação de testemunho público – como uma criança vai fazer o seu testemunho público se ela não tem conhecimento do que ela está fazendo? O batismo deve ser feito quando o homem tem consciência de sua escolha, desta forma nós também não queremos que as crianças sejam iludidas pelas festas das quais tem conotações espirituais sem o seu conhecimento prévio."

Fonte: http://bereianos.blogspot.com/2009/10/haloween-festa-das-bruxas.html


O que vejo é que o batismo agora feito pela nova aliança, feito pelo Sangue de Jesus, como diz as escrituras que: é necessário primeiro crer no Filho de Deus. Pelo menos é o que penso na minha humilde opinião. Mas não se preocupe, eu não vou te ofender e nem criar um clima de guerra.

Em Cristo.

Paulo Fagundes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Fagundes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Djalma Oliveira disse...

Paulo Fagundes

Os textos nas Escrituras que condicionam o batismo ao arrependimento e manifestação da fé, dizem respeito aos adulto e não aos seus filhos pequeninos.

Por isso os pais professavam e imediatamente era batizado com TODA a sua casa.

A fé nas Escrituras não é requisito apenas para o batismo, mas também para a salvação.

Se por falta de fé do pequeninos, os credobatistas as excluem do batismo, pelo mesmo motivo deveriam exclui-las da salvação.

claro que os texto usados pelos credobatistas não tratam de crianças, mas de adultos, esses sim, só devem ser admitidos ao batismo mediante pública profissão de fé.

Como provar pelas Escrituras que estão certos os que negam às crianças, filhas da aliança, sua participação na comunidade dos crentes assim como acontecia com os filhos do judeus que tinham até papeis bem definidos dentro de suas comunidades nas quais eram inseridos pela circuncisão aos 8 dias de vida?

Está ai um desafio pra todos que negligenciam o batismo de seus filhos, a apresentar razões de justificativa, escrituristicamente verificáveis, para a exclusão dos filhos dos crentes da Igreja e do batismo.

"Igreja não é uma associação completamente nova, ela é a continuaçãodo Israel da antiga dispensação. No Antigo Testamento, o pacto feito entre Deus e o Seu povo incluíam os filhos dos fiéis e eles recebiam o sinal da aliança. Eles possuem os mesmos privilégios, a não ser que uma ordem expressa revogue o pacto ou retire este privilégio das crianças"

Quanto aos testemunho das Escrituras a respeito do Batismo infatil, pode conferir em outro artigo neste blog onde expomos nossa base escriturística.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Cristão Reformado (Você não colocou o seu nome),

Você acha que eu tentei atingir alguém? Desculpe, mas apenas disse e repito que antes de afirmar que algo é bíblico, deveria mostrar as referências nas escrituras. Em nenhum momento tive a intenção de ser irônico, mas você me deu uma aula de como ser. Primeiro nem de longe eu não me considero um mestre, e peço que me perdoe se fui incompreendido por você, mas tenho o direito de discordar e pedir uma explicação mais convincente. Se você prefere irar-se comigo, eu peço perdão, talvez não tenha colocado bem as palavras, mas continuo discordando, e vou citar mais algumas referências, mas por favor não fique descarregando a sua ira contra mim, mas trate das questões bíblicas com mais tranquilidade, entendendo que a controvérsia é saudável e não interessa a nenhum de nós criar inimizade nem clima de ódio entre blogueiros cristãos, que tem apenas o interesse de estudar as escrituras, para a sua própria edificação e a de outros.

"Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir?" Lucas 3:7

"E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus, que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?" Mateus 3:7

João se recusou a batizar aqueles homens judeus que já eram circuncidados? Por que?

Vejo que precisa um pouco de reflexão antes de qualquer pessoa declarar que a sua vida a partir deste momento será comandada pelo Senhor Jesus. O Filho de Deus já cria desde menino, mas só foi batizado adulto, vejo que isto tem um significado, mas não quer dizer que uma criança que já tenha algum entendimento não possa ser batizada, mas também será que é para ser batizado de qualquer jeito?

"Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." (Atos 17:11)

Você examina nas escrituras tudo o que ouve e vê? Faça isso, aja como bereiano.


"O exemplo vem do próprio cristianismo, algumas igrejas protestantes não batizam crianças porque elas não têm conhecimento suficiente para escolher se vão querer ou não seguir Jesus em sua vida. O batismo tem uma conotação de testemunho público – como uma criança vai fazer o seu testemunho público se ela não tem conhecimento do que ela está fazendo? O batismo deve ser feito quando o homem tem consciência de sua escolha, desta forma nós também não queremos que as crianças sejam iludidas pelas festas das quais tem conotações espirituais sem o seu conhecimento prévio."

Fonte: http://bereianos.blogspot.com/2009/10/haloween-festa-das-bruxas.html


O que vejo é que o batismo agora feito pela nova aliança, feito pelo Sangue de Jesus, como diz as escrituras que: é necessário primeiro crer no Filho de Deus. Pelo menos é o que penso na minha humilde opinião. Mas não se preocupe, eu não vou te ofender e nem criar um clima de guerra.

Em Cristo.

cristaoreformado disse...

Graça e paz!
Primeiro, quem iniciou com ironia não fui eu. Segundo você não respondeu minhas perguntas, apenas tentou usar textos bíblicos que só confirmam o que eu disse "referiam-se a adultos" e a versão Pshito siriaca que diz "Lidia foi batizada e as crinças da sua casa."(At 16.15), esta versão é considerada por grandes eruditos como muito peculiar aos originais, outra coisa, com relação ao batismo como testemunho público, o que dizer da circuncisão que tinha a mesma finalidade do batismo, ingressar na aliança (Gn 17.14) e isto era sinal da alinça (Gn 17.11), até um estrangeiro teria que agir assim (Gn 17.12, 34.24), se isto não for testemunho é o que? E as crianças entravam, não há descontinuidade pois este ordenança é perpetua (Gn 17.13), só foi trocado o corte pela água (Cl 2.11,12), mas não há mandamento proibindo as crianças de entrar na aliança no NT, Jesus foi circuncidado e por que os credobatistas não são? Não nutro ódio por ninguém, tenho amizade com batistas, pentecostais da minha cidade, mas tenho a minha opinião formada e creio está fundamentada na Escritura, peço perdão se o ofendi e tenho a intenção de mostrar que nossa doutrina é bíblica.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Djalma Oliveira,

Obrigado pela elegância com que você respondeu, isto nos proporciona crescimento.


Me perdoe se as palavras que usei pareceram ofensivas ou ironicas, como disse o "cristão reformado" mas não tive a menor intenção. Apenas gosto de conferir as referências bíblicas. E neste assunto em particular desconheço tais referências, me perdoe a ignorância, pois estou apenas buscando aperfeiçoar meu conhecimento das escrituras.

Concordo com você, não se pode negligenciar com os pequeninos, porque mesmo uma criança pode muito bem ser iluminada pelo entendimento dado pelo Espírito Santo, mas o que eu questiono é, se é correto batizar mesmo aquele pequenino que de tão pequeno, não tem o menor entendimento do que está acontecendo a sua volta?

Ele está entendendo que está entregando sua vida ao Senhor Jesus? Não é pelo fato de você não o estar batizando ainda pequeno que lhe está negando a salvação, pois a salvação não pertence a você, e sim ao Senhor, mas apenas querendo que ele reflita sobre a seriedade deste ato.

Eu tenho um filho de sete anos, quando eu fui convertido a Cristo ele tinha menos de cinco e até hoje ele não entende muito bem a minha fé, ele ri e faz brincadeiras, não entende verdadeiramente o que é ser cristão. O que eu faço então? Quer dizer que pela minha fé, eu posso simplesmente batizá-lo independente do fato dele crer ou não? A minha fé me dá este direito independente do entendimento do meu filho sobre Jesus?

Será que podemos transferir a mesma prática do antigo testamento e daqueles povos criados nos moldes da circuncisão para os dias de hoje? Ou é mais prudente que o homem ou o menino entenda primeiro o significado do crer para depois se batizar?

Em Cristo.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Cristão Reformado,
Graça e Paz.

Eu já me retratei sobre qualquer palavra errada, mas pelo que você chamou de ironia, eu chamo de zelo, cuidado com a verdade. Enquanto que na bíblia cita tantos versículos sobre o crer primeiro e depois o batizar, nenhum versículo diz: E sejam batizadas todas as crianças para não permanecerem em pecados. Cada caso é um caso. Não entendo que o batismo em Cristo deva ser feito como se fosse a circuncisão, pois tem uma singularidade diferente, pois é o testemunho de alguém que recebe a salvação agora reconhecendo o sacrifício de Jesus no Calvário.

Esta é a minha opinião, não é uma opinião que não possa ser aperfeiçoada, não possa ser melhorada com a ajuda dos irmãos blogueiros. Se eu errei, me perdoe. Mas acho que você foi muito duro no seu comentário e esqueceu de alguns requisitos indispensáveis para um Cristão Reformado, entre eles poderia citar a humildade.

Mas tudo isso serve para o nosso próprio crescimento.

Em Cristo.

Marcelo Batista Dias disse...

Olá queridos,
Sugiro ao irmão Paulo Fagundes a leitura de um livreto intitulado "Batismo Cristão - Imersão ou Aspersão" (Ed. Cultura Cristã), de Charles Hodge onde ele trata de forma clara, concisa e bíblica também do batismo infantil.
Abrçs.
Marcelo

cristaoreformado disse...

Graça e paz!
Eu não quero ofende-lo amigo Paulo, mas circuncisão e batismo tem o mesmo sentido que é iniciação na comunidade da aliança, o erro muitas vezes é usar experiencias para criar doutrina, doutrina faz-se com Escritura e não com experiencias, se um filho não entende ainda a fé, e por acaso entendiam os de 8 dias de nascidos circuncidados (Gn 17.12), eu não condiciono salvação ao batismo nem a Igreja Presbiteriana faz, mas e a versão peshito siriaca que diz "E Lidia foi batizada e as crianças de sua casa". (At 14.15) não é um texto bíblico? Sobre a questão da circuncisão do VT para moldar aos dias de hoje, creio que o mais prudente é seguir a continuidade expressa na Bíblia de circuncisão para batismo, onde segundo a Peshito foi concedido a Lídia e suas crianças, onde o carcereiro foi batizado com sua familia e vários outros casos que segundo a versão peshito envolviam crianças. Mais prudente não é seguir a maioria, mas seguir a Palavra de Deus. Engraçado! Você não me respondeu sobre a peshito!

Paulo Fagundes disse...

Graça e Paz!

Prezado Cristão Reformado, (1ª parte)

Quero ao final do nosso simples debate, crer que tenhamos construído aqui um relacionamento bom e cordial entre duas pessoas, que querem apenas aprender mais um pouco sobre os ensinamentos bíblicos.

Quero fazer algumas considerações, veja estes versículos:

“E deu-lhe a aliança da circuncisão; e assim gerou a Isaque, e o circuncidou ao oitavo dia; e Isaque a Jacó; e Jacó aos doze patriarcas.” (Atos 7:8)
"É alguém chamado, estando circuncidado? fique circuncidado. É alguém chamado estando incircuncidado? não se circuncide. (1Co 7:18)

Veja bem, a circuncisão representa o ato do batismo no antigo testamento, mas apesar disso o batismo no novo testamento é tratado de forma especial, diferente, pois acompanha a ordenança dada pelo próprio Jesus:
“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quém porém, não crer será condenado.” (Marcos 16:15.16)
Portanto, “Ide...e pregai o evangelho a toda criatura”, mas você não vai pregar o evangelho a uma criança de oito dias, vai? Se fizer isto está obedecendo a ordem dada? Acho que não. Então você espera que a criança tenha um pouco de entendimento e cumpre o que foi dito. Pelo menos eu, penso que a ordem é essa.

Respeito o seu entendimento, mas vejo desta maneira: Os Judeus eram de forma geral na aliança do velho testamento reconhecidos como povo de Deus. Mas na nova aliança em Cristo, os Gentios não são de forma geral e irrestrita reconhecidos como eleitos de Deus, então a ordenança de Jesus para a confissão de fé antes do batismo, vejo que, era necessária para confirmar o testemunho de que as pessoas tinham crido nEle como salvador. Diferentemente dos judeus daquela época que eram um povo reconhecidamente eleito de forma geral e irrestrita, e a circuncisão era feita de forma incondicional geral e irrestrita, não havendo necessidade de nenhuma confissão de fé. Nasceu, logo era batizado, ou seja circuncidado.

Obs: Abaixo continuação.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Cristão Reformado, (Cont.)

Mas observemos então o novo testamento, e o condicionamento do batismo ao fato de se crer:
Vejamos o caso de Lídia:

"E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia.E, depois que foi batizada, ela e a sua casa, nos rogou, dizendo: Se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor, entrai em minha casa, e ficai ali. E nos constrangeu a isso." (At 16:14.15)

No caso especial de Lídia: O apóstolo Paulo e Silas, faziam uma viagem missionária visitando e pregando o evangelho pela Síria e Cilícia, depois Derbe e Listra, região frígio-gálata e Trôade, depois teve uma visão e foi para a Macedônia e lá encontrou Lídia. Quero que você me entenda porque tenho uma visão do fato ocorrido diferente da sua. Quando aquela mulher chamada Lídia encontraria de novo com aquele homem ungido por Deus? Talvez nunca mais, deve ter pensado ela, veja então que seria natural, que ela pedisse a ele que batizasse logo toda sua casa, ou ele mesmo poderia ter pensado nisto. Eu entendo que é algo especial e perfeitamente compreensível, ainda mais sendo obra do Espírito Santo, mas não é o normal que ocorre na bíblia com relação ao batismo no novo testamento.

Agora vamos analisar o seguinte, nos dias de hoje: existem milhares de igrejas que pregam tudo menos o evangelho e milhares de pastores que tem tudo menos unção, e as pessoas ouvem tudo menos a palavra de Deus, e não creêm porque não tem quem ensine, e são batizadas de qualquer jeito mesmo sem crer, como moeda de troca na busca pelo reino da prosperidade.

Eu lhe pergunto: Você acha que isto feito assim, agrada a Deus? Ou é muito mais bíblico, obedecermos a ordenança dada pelo nosso mestre Senhor e Salvador, Jesus Cristo,
de ensinar primeiro e depois batizar? Sendo adulto ou criança, não importa, porque não vai ensinar para as crianças? Porque vai batizar com oito dias? Está fugindo da responsabilidade de ensinar o evangelho?

Esta é a minha humilde opinião, mas respeito a sua opinião de se deve batizar como se fosse igualzinho a época da circuncisão. Nasceu, logo batizou, ou como era antes, circuncidou. Se quer fazer igual ao antigo testamento, porque então não faz a circuncisão?

Que Deus nos abençoe e nos dê entendimento da sua palavra de forma espiritual, para que possamos entender a essência do que está sendo ensinado na palavra e não apenas de forma superficial. Amém.

Em Cristo

http://tomeasuacruzesigame.blogspot.com/

Andevasto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andevasto disse...

Olha não sou conhecedor como ambos, sou menino no entendimento, mas que sei é que o próprio Senhor Jesus Cristo, foi enviado pelo Pai, e nosso Senhor veio para que fossemos teus imitadores, não seremos como ele entendam, até que ele volte e nos leve. Mas o Pai permitiu que o filho viesse e mostrasse como as coisas teriam que ser feitas, e isso me mostra que não sigo teologia etc, pelo menos não quero, pois meu Pastor me ensinou algo embora conheça desta pratica teologia, enfim vale mais ter intimidade com Espiríto de que ter todo este conhecimento, quero dizer que meu Mestre veio porque havia de mostrar as coisas como elas de fato teriam que ser, assim faço, ou vocês guardam o sábado também, sabendo que alguém está morrendo?.
onde quero chegar é que Jesus com doze anos ainda não havia sido batizado, e me lembro que ele crescia em sabedoria e graça, enfim de fato existe o momento que se meu Senhor com 12 anos apesar deste crescimento, está intimidade com o Pai a qual muitos se maravilharam, então sejamos imitadores de Cristo como filhos amados, eu vocês só iremos agradar ao Pai se formos como seu filho foi obediente e mostrando aos pequenos que tem tempo para compreender tudo, eu não conhecedor como doutores, como vocês mas sei do que meu Pai me mostra a cada dia. Fiquem na Paz do Senhor Jesus Cristo nosso Senhor.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Andevasto,
Graça e Paz!

Muito obrigado! Ótimo comentário, você de forma simples,falou praticamente o que gastei muito mais tempo para explicar. Outra coisa irmão, não somos mestres, apenas queremos aprender tanto quanto você. E cometemos erros, somos humanos!

Mas gostaria de te mostrar algo que postei no meu blog:

1. Você já é um teólogo.
Por que você precisa estudar teologia? Porque teologia não é uma coisa que apenas o professor de teologia tem – todos nós cremos em alguma coisa sobre Deus e, portanto, somos teólogos à nossa própria maneira. No entanto, o que precisa ser questionado é se o que você crê é correto, e o estudo da teologia pode ajudar a responder essa pergunta.

2. Seu amor por Jesus é intrisicamente ligado com seu conhecimento de sua Palavra.
Por que você precisa estudar teologia? Porque Jesus disse: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14.15). Ouvi alguém dizendo que o certo cristão pode não ser grande teologicamente, mas estava tudo bem porque ele realmenteamava Jesus. Entretanto, Jesus diz que se nós o amamos, obedeceremos o que ele ordena. Como nós podemos obedecê-lo se nós não vamos à sua Palavra para conhecer corretamente seus mandamentos?

3. Sua doutrina determinará como você vive.
Por que você precisa estudar teologia? Porque o que você acredita (sua doutrina) determinará como você vive (sua prática). Isto pode ser visto em sua vida cotidiana. Se você acredita que alguma coisa é venenosa, você simplesmente não a bebe. Similarmente, suas crenças sobre Deus e sua Palavra determinam como você vive dia a dia. Por exemplo, se você acredita que Deus fala somente através de sua Palavra então você a estudará diligentemente. Entretanto, se você acredita que Deus fala através de impressões e coisas parecidas, então você procurará por aquela pequena voz silenciosa. O exemplo acima drasticamente muda como uma pessoa procurará encontrar a vontade de Deus para sua vida, e ilustra porque você precisa estudar teologia.

4. Suas afeições determinarão o que você estuda.
Por que você precisa estudar teologia? Porque onde suas afeições estão colocadas determinará o que você gastará tempo estudando. Se seu hobby é fotografia você desejará estudar o assunto para saber como melhorar suas fotografias e aumentar seu amor e apreciação por esse passatempo. Da mesma forma, se você é cristão e sua afeição principal está sobre Deus, por que você não desejaria estudar a Palavra para aumentar seu amor e apreciação por ele e sua Palavra?
5. Sua humildade depende disso.
Por que você precisa estudar teologia? Porque sem estudar teologia, é possível que você pense muito bem sobre você, mas não bem o bastante de Deus. Se é verdade que o conhecimento incha (1 Coríntios 8.1), as Escrituras, pelo contrário, quando corretamente entendidas e aplicadas, darão a você, por exemplo, o conhecimento da depravação e miserabilidade humana diante de Deus, e também darão conhecimento da magnificência, santidade, soberania e graça de Deus, o que somente pode servir para levar um verdadeiro convertido a ajoelhar-se em humildade.
Possa Deus ser glorificado quando você estudar teologia, com o desejo de saber mais sobre sua revelação especial ao homem.

Autor: Nathan W. Bingham
Fonte: [ Iprodigo ]
Via: [Bereianos]

http://tomeasuacruzesigame.blogspot

Visite o link acima para conferir este e outros artigos. Deus o abençoe.

Em Cristo.

NaToO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
NaToO disse...

Porque Jesus se batizou? porque pecou? Claro que não, Jesus se batizou porque estava assumindo o cargo de sumo-sacerdote, como todos nós fomos feitos sacerdotes, sem mais a necessidade de um mediador humano entre Deus e o homem, o batismo não é só uma remissão de pecados e uma nova vida, é também o ingresso a posição sacerdotal.... bom, eu nunca vi um sacerdote bebê, e outros tipos de unção na bíblia não são a mesma coisa, cada uma tinha um significado...

O batismo do sacerdote, ele tinha que antes de assumir, tomar um banho para purificação, e saber da responsabilidade que está assumindo, e é exatamente esse batismo que recebemos hoje... um bebe não sabe o que é isso....

NaToO disse...

Se a igreja quer consagrar ou fazer unção em uma criança não tem problema nenhum.... mas porque sendo Jesus já consagrado desde pequeno, batizou-se depois dos 30 anos?

O fato de uma criança não ser batizada, não quer dizer que ela está excluída do meio....

Paulo Fagundes disse...

Prezado NatoO.
Graça e Paz!

Perfeito. Podemos ver mais uma vez que o batismo em crianças de oito dias de nascidas, e que não entendem o verdadeiro significado de um ato tão profundo como o batismo, não pode ser sustentado apenas com o que foi apresentado aqui, fica muito difícil, porque não tem uma consistente fundamentação bíblica.

IPF BETEL disse...

Graça e paz a todos!

Li a matéria e também os comentarios que foram propostos, no que se refere a matéria. Percebo que o que foi esposto em alguns comentários giram em torno da salvação, como foi dito: "Quem crer e for batizado...". Essa alegação não se constitue em base para negar o batismo infantil, pelo fato de que o batismo não salva ninguém, e nem confere salvação ao batizando, seja ele adulto ou criança. Alguém pode dizer: "Me dê provas disto, e provas Bíblicas!", eu a darei lembrando o fato do ladrão na cruz, ele não rebebeu o batismo, seja ele por imersão, aspersão ou efusão, não teve ele oportunidade pra isso, porém Jesus lhe disse:"Em verdade te digo que estarás comigo, hoje, no Paraíso", Lc 23:43. Vamos contrariar ou até mesmo duvidar da salvação deste homem, pelo fato de ele não ter sido batizado com algua? Foi levantado também a questão do entendimento humano, no que se refere o que se deve enteder para crer. Muitas crianças do sexo masculino nos tempos de Moisés, por ordem do Faraó foram mortas e muitas crianças também morreram nos tempos de Jesus, por ordens do rei Herodes e a pergunta que faço aos queridos irmãos deste debate é: Todas estas crianças que morreram, sem entender para crer e ser batizada para ser salva, foram por inferno? Nenhuma foi salva? O que dizer de crianças recém-nascidas nos dias de hoje que morreram e que morrem sem entendimento e compreenderem o que e em quem devem crer, morreram e foram para o inferno pelo fato de não serem batizadas? Os loucos, que estão em hospitais, pelo fato de não terem razão foram e vão para o inferno? O batismo infantil, como já foi abordado é uma extenção do pacto da graça que não só se extende aos pais mas também as crianças. Não batizar as crianças é o mesmo que dizer que elas não fazem parte da aliança de Deus para determinada familia.

IPF BETEL disse...

O comentário foi escrito pelo Pr. Davi Nascimento

Paulo Fagundes disse...

Prezado Pr. Davi Nascimento,
Graça e Paz!

Deixem me esclarecer uma coisa, e me perdoem se não fui claro, mas em nenhum momento estou afirmando que o batismo confere salvação, ou que é essencial a salvação, ou que crianças que morreram sem ser batizadas serão condenadas. Seria um absurdo afirmar isso. O que eu disse é que acho muito mais correto se obedecer a ordenança do Senhor Jesus quando Ele diz: "Quem crer e for batizado"(Mc16:16).
Quero apenas focalizar na ordem das coisas, como diz a palavra: que deve primeiro acontecer o ato de se crer e depois o ato de se batizar, ou seja, a pessoa deve primeiro ter entendimento para dar o testemunho de que recebeu o dom da fé em Cristo Jesus e depois na primeira oportunidade então ser batizada. Esta sequência é que vejo como sendo a mais correta na bíblia, e não o pensamento de que primeiro deve-se batizar a criança recém-nascida e depois que tiver o entendimento é que você vai ensinar o evangelho da salvação. A bíblia mostra diferente, primeiro era ensinado e depois batizado. É só um debate sobre a ordem das coisas, ou seja, o que vem primeiro? O ensinar e depois o batizar? Ou o batizar e depois o ensinar? A bíblia diz que é o ensinar e depois o batizar, não tem nada a ver em dizer que só os que são batizados é que serão salvos, como as crianças pequenas que não tem ainda entendimento, as pessoas especiais e tantos outros casos que não temos conhecimento, de pessoas que morreram sem batismo mas que com certeza serão salvas, pois Deus é justo. No caso do Ladrão na Cruz, não foi possível o batismo, mas ele recebeu o dom da fé, que é dado por Deus e foi justificado, foi salvo, independente de batismo. Mas quem tem a oportunidade de obedecer a ordem dada pelo nosso mestre Jesus, que obedeça. Este é o meu caso, eu prefiro assim. Agora se algum crente batizou o seu filho ainda sendo criança de colo, e me pergunta se valeu, eu não posso responder esta pergunta, depende da consciência e da fé de cada um, se ele sente no coração que valeu, como eu posso duvidar? Neste caso também vou aceitar como sendo válido. O caso é que o batismo em si não salva ninguém. É isto irmãos, também estou aqui para aprender. Deus abençoe.

Anônimo disse...

GOSTEI DESSE DESAFIO QUE O IRMÃO POSTOU, E POSTARAM MUITA COISA DEPOIS, MAS NINGUÉM RESPONDEU

Como provar pelas Escrituras que estão certos os que negam às crianças, filhas da aliança, sua participação na comunidade dos crentes assim como acontecia com os filhos do judeus que tinham até papeis bem definidos dentro de suas comunidades nas quais eram inseridos pela circuncisão aos 8 dias de vida?

----------------------------

Está ai um desafio pra todos que negligenciam o batismo de seus filhos, a apresentar razões de justificativa, escrituristicamente verificáveis, para a exclusão dos filhos dos crentes da Igreja e do batismo.

"Igreja não é uma associação completamente nova, ela é a continuaçãodo Israel da antiga dispensação. No Antigo Testamento, o pacto feito entre Deus e o Seu povo incluíam os filhos dos fiéis e eles recebiam o sinal da aliança. Eles possuem os mesmos privilégios, a não ser que uma ordem expressa revogue o pacto ou retire este privilégio das crianças"

NaToO disse...

Que exagero, batismo não salva ninguém, e me admiro de ditos pastores afirmarem que é absurdo não batizar uma criança... isso é apenas um ato simbólico, uma apresentação em publico tem o mesmo efeito... o batismo em aguas é diferente, é assumir o sacerdócio, é um momento muito importante, quando eu tinha 11 anos estudei o assunto e decidi fazer a cerimônia em publico para mostrar minha aceitação, foi um dia muito feliz para mim, eu ter consciência de estar confirmando minha posição quanto a cristo....

pois eu digo o contrario, vocês estão privando seus jovens da experiência inigualável que é o batismo em aguas com consciência, é muito gostoso, é como se estivéssemos na porta do céu com todos anjos ao redor

IPF BETEL disse...

Dizer que o batismo infantil é errado, isso é que é errado, e quanto aos "ditos pastores", como fala o NaToO, em forma de desprezo, isso vai da doutrina que a sua igreja professa. Nós presbiterianos batizamos crianças, por que entendemos que a Bíblia nos ensina claramente essa doutrina. Quanto negar o batismo infantilpelo fato de ser "mais gostoso e que é mesmo que está na porta do céu, com os anjos, etc, quero dizer que muitos adultos são batizado, com sua conciência, porta do céu, anjos..., porém muitos estão fora da igreja fazendo o contrário que foi professado na ocasião do batismo, isso com consciência e tudo mais. O que falei foi o seguinte, batismo não salva ninguém, como de fato não salva, lembrem-se que a fé e o crer estará ligado a salvação, quando digo que o requesito para ser salvo depende da minha consciência, eu invalido o sacrificio de Cristo, pois o que vale é a minha consciência e o meu entendimento. Note que o Batismo infantio é apenas o cumprimento das promessas de Deus para os filhos do Pacto da salvção em Cristo. Se digo que o batismo é apenas um ato simbólico, eu tenho que abraçar como correto e não criticar o batismo de muitas seitas, pois é apenas simbolo. Quanto ao simples ato de apresentar, a Bíblia não demonstra em lugar algum que o filho de alguém foi apresentado, mas circuncidado, como é o caso de Jesus, quando foi levado a presença do sacerdote Zacarias. O apresntar não tem o mesmo efeito de batizar, coisa nenhuma. Irmãos, o batismo cristão de uma forma geral é mais que um simbolo, ele mostra de uma forma visual que pertencemos a familia de Deus incluzive os infantes, se não consideramos os nossos filhos como pertencentes ao pacto, algo está errado.Se alguém não aceita o batismo infantil, também não repudie os que acetam, como já falei, isso vai da consciência e entendimento de cada um e também da doutrina de cada igreja.
Pr. Davi Nascimento.

Anônimo disse...

Bom, nao sou teologo, sou um crente da linha Batista e ultimamente tenho visitado a Igreja Presbiteriana, ouvi falar que o batismo das criancas na Igreja Presbiteriana e um simbolo que aquela criança faz parte de uma familia cristã, mais nada, e que os pais tem a obrigacao de ensinar a verdade a essas criancas, quando eles forem grandes, poderao entender ou nao o evangelho, abraçar ou nao, este batismo nao esta condicionado ao batismo após conversao, apenas e um ato simbolico de que a crianca faz parte de uma familia de crentes, assim entendi.

Sandro disse...

Caríssimo, você deveria trocar o título de seu artigo para "Batismo infantil, prática da igreja antiga", uma vez que a Igreja Primitiva é a Igreja Apostólica ou seja a Igreja do primeiro século e você só apresentou citações da metade do segundo século para frente, portanto, não ficou estabelecido a prática da "igreja primitiva" em seu texto.

Anônimo disse...

comparar a velha aliança com a nova aliança é um equivoco tremendo,haja vista se as duas fossem a mesma coisa Cristo não teria sido sacrificado...
alguns baseiam-se nos escritos de calvino,para sustentar a doutrina do batismo para crianças,segundo consta a história calvino não aceitou o batismo depois de adulto pois segundo ele já havia sido batisado ainda criança,recusando a oportunidade que o ladrão da cruz não teve,o ladrão foi justificado pela sua fé(reconhecendo que Cristo era justo e não merecia esta ali) e foi batisado ali mesmo na cruz pelo próprio Cristo,...
optando entre as filosofias de calvino e as escrituras que dão base a nova alinça(NT) fico com as palavrtas de Cristo afinal eu sou cristão e não calvinista...fernando sousa

dinho disse...

gostei muito do debate e gostaria de saber mais sobre esse assunto e sobre outros assuntos tambem meu e-mail diamersonmatos@gmail.com espero mais informaçoes sou estudante de teologia

Gilson Moura disse...

Meu Deus! Vocês do site - que se dizem defensores da doutrina reformada - usaram para embasar sua doutrina pedobatista de um documento espúrio!?

--o trecho que você escreveu--
Em 418, o Concílio de Cartago declara: "Também os mais pequeninos, que não tenham ainda podido cometer pessoalmente algum pecado, são verdadeiramente batizados para a remissão dos pecados, a fim de que, mediante a regeneração, seja purificado aquilo que eles têm de nascença" (Dz.-Sch., Enquirídio, nº 223).
-----------------------

Veja: "batizados para remissão de pecados". Isto é totalmente antibíblíco!

Nilson dos Santos disse...

Graça e paz amado Paulo Fagundes,

Sinto que a maior dificuldade de se trabalhar este tema hoje é a visão distorcida da relação entre o AT e o NT.
O Novo Testamento não é uma realidade inédita que anula tudo o que Deus fez no passado. Deus não é incoerente e nem mutável. O homem foi salvo pela Grança em todos os tempos (A cruz aboliu a lei civil e cerimonial).
A verdade de Deus é a mesma,no Antigo e no Novo Concerto. Se isto não fosse verdade não faria sentido os Dez mandamentos para nós hoje e nem faria sentido textos como 1 Jo 3.4; 1Tim 1,8; Sal 1 entre outros que falam sobre a lei do Senhor.
A igreja primitiva não conhecia o Novo Testamento, o Canon foi constituído numa situação de defesa e resposta aos movimentos heréticos.
Devemos entender que a revelação divina em toda a Bíblia ocorre de modo progressivo e pedagógico. o Novo Testamento é o cumprimento das promessas e a revelação de Deus no seu estágio mais avançado. A revelação bíblica é como um botão desabrochando. A rosa desabrochada é a revelação neotestamentária.
Muitos textos já foram expressos sobre a questão da comparação do batismo com a circuncisão, não quero ser repetitivo mas apenas acrescentar algo ao que já foi apresentado:
O Antigo Testamento fala da formação do povo de Deus (Israel), este tb é chamado de eclesia At 7,38. O povo de Israel era a igreja de Deus no Antigo Testamento, assim como seus ritos e suas práticas cerimonias apontavam para realidades superiores e espirituais.
O Antigo Testamento trabalha com a sombra da realidade (tipo) o Novo com a realidade (antitipo) A Bíblia é uma unidade,o autor primário é o mesmo de Gn a Apoc. A verdade é que o Novo Concerto pois fim em tudo aquilo que tinha característica temporária. Tais coisas encontramos expressos no próprio NT, mas a visão de igreja e sacramentos se tornou mais plena e amadurecida no Novo Concerto, pois os rituais do AT eram limitados e o erro era conferir valores a estes como fim último (tornando vazio os cerimoniais instituídos por Deus). Assim como a pascoa representava a libertação da escravidão do Egito, a Santa Ceia foi instituída com um significado mais amplo, abrangente e Espiritual. Cristo veio para nos libertar do pecado e da morte. A Ceia substitui a páscoa no sentido judaico. A circuncisão também carregava significados espirituais Dt 39,6 e 10,16;Rom 4,11 (semelhantes o batismo) porém limitados.
O Batismo substitui a circuncisão e isso podemos ver no texto de Col 2, 10-15 (Até mesmo o erudito Batista Russel Shedd admite que neste texto o Batismo é visto como substituto da circuncisão.

Nilson dos Santos disse...

Quando estudamos a história da igreja percebemos que a prática do Batismo infantil era uma realidade da igreja primitiva, pois não encontramos nenhuma contestação em relação a esta, e podemos assegurar que os documentos antecedem a instituição do catolicismo romano.
A verdade é que a porta de entrada de uma pessoa a família de Deus no At é a circuncisão e no NT é o Batismo, isto ninguém contesta. Se Deus ordenou que as crianças deveriam recebe o sinal da fé e justificação(teria sido Ele incoerente e violento), por que devemos negar o batismo as crianças? O sentido é o mesmo (sinal da fé e justiça)porém com maior abrangência e significado (morte e ressurreição de Jesus e recebimento do Espírito Santo).

Não exite uma única objeção ao batismo infantil durante toda a história da igreja até chegar aos heréticos anabatistas do final do século XVI. Deus teria permitido a sua igreja ter se enganado durante 16 séculos? (seria pretensão de mais). Muitos pais primitivos foram batizados na infância, quando alguns dos apóstolos estavam vivos ...
Fui batizado na infância e depois numa igreja imersionista que não aceita o batismo infantil.Eu aceito como verdadeiro o meu batismo infantil e considero apenas um banho o suposto batismo que tive que me submeter na época, hoje não aceitaria.
Quanto ao Batismo de Jesus, este tem pouca relação com o nosso. O Batismo de João era para arrependimento e preparação para receber o messias que viria. O ritual não era novo para os Judeus (naquele tempo os judeus faziam o chamado batismo de prosélitos - ou seja, quando um gentio se convertia ao judaísmo ele era batizado e tb os seus filhos de colo). Os rituais de purificação eram conhecidos dos judeus, o que era novo era o motivo que João Batizava. O Batismo de Jesus foi a sua consagração sacerdotal(Nm 8.5;Hb 5.10; 6.20; 7.17 Nm 4.47; Lc 3.23)“nos convém cumprir toda a justiça” (Mt 3.15). O batismo cristão foi instituído apenas depois da ressurreição Mt 28, 19. O batismo de João não tinha validade para a igreja, por isso Paulo rebatizou em At 19. Não se pode usar a experiência de Jesus como exemplo, pois o mesmo foi submetido a circuncisão conforme a lei.
Paulo em 1Co 10,2 trabalha com uma linguagem bem figurada que aponta para o batismo. O povo foi batizado na nuvem (Salmo 77, 17 explica a maneira), no mar (as paredes separadas aspergiram, borrifaram água sobre o povo que passava), e em Moisés (identificação com o líder). Está presente neste texto elementos claro da figura do batismo por aspersão (q não está em debate) e infantil, pois é impossível negar a existência de crianças entre os milhares que passaram de pés enxuto pelo mar.

Nilson dos Santos disse...

Por fim, vale apena entender que a Bíblia foi produzida dentro de contexto social, político e religioso. Não podemos negar que alguns pressupostos já estão incluso na compreensão do texto. todos os relatos q falam da necessidade de se crer para ser batizado está se falando de uma igreja num contexto missionário, dentro de uma realidade evangelística, logo não está em questão a criança, pois a mesma não pode entender a mensagem, mas ela deve ser contada como filha da promessa. Se por um lado não existe textos claros que falam de batismo infantil,tb não tem nenhum que proíbe. O argumento do silêncio é favorável ao batismo infantil, visto que o mesmo era praticado na Antiga Aliança e a Nova é bem mais inclusiva e abrangente.
A Bíblia não fala de mulheres participando da Santa Ceia, por isso vamos excluí-las? A Bíblia fala que quem não crer já está condenado (as crianças não serão salvas?), as pessoas com problemas mentais irão para o inferno? O contexto das passagens é claro, trata-se de mensagem dirigidas a pessoas com capacidades de responder a pregação, nada se fala de crianças e casos semelhantes.
Paulo fala que quem não trabalha não coma (as crianças por isso não poderão comer?) ninguém tem dúvida que o texto é dirigido a pessoas adultas. É interessante vermos na Bíblia que não existe um caso de alguém que foi criado na igreja e recebeu o batismo depois de adulto. Vale apena pensar nisso.





________________________________________

Paulo Fagundes disse...

Graça e paz amado Nilson dos Santos,

Primeiro quero dizer que não sou nenhum especialista bíblico, mas estou apenas querendo analisar o assunto tomando por base as escrituras sagradas.

1 - Você disse: "Sinto que a maior dificuldade de se trabalhar este tema hoje é a visão distorcida da relação entre o AT e o NT."

- Concordo! Isso é algo para se refletir, mas quem é que está distorcendo esta relação entre o AT e o NT? Vamos pensar nisso com cuidado.

2 - Você disse: "A circuncisão também carregava significados espirituais Dt 39,6 e 10,16;Rom 4,11 (semelhantes o batismo) porém limitados.
"O Batismo substitui a circuncisão"

- Concordo, o batismo substitui a circuncisão, mas ninguém perguntava à alguém antes de ser circuncidado, se ele cria em Jesus. O batismo substitui a circuncisão, mas tem uma orientação dada pelo próprio JESUS, e isso o torna diferente, não acha?

3 - Você disse: "Quanto ao Batismo de Jesus, este tem pouca relação com o nosso." - "Não se pode usar a experiência de Jesus como exemplo, pois o mesmo foi submetido a circuncisão conforme a lei."

- A bíblia é totalmente Cristocêntrica, enquanto você diz que não devemos olhar para o exemplo de Jesus no batismo, a minha humilde opinião é que o exemplo do mestre JESUS é tudo o que devemos olhar.

4 - Você disse: "O Batismo de Jesus foi a sua consagração sacerdotal"

- Concordo, e isso serve para nós também, por isso é preciso entender bem este ato. Não é a toa que muitos filhos de crentes são batizados e vivem como querem, pois não entenderam um ato tão importante em suas vidas.

Paulo Fagundes disse...

5 - Você disse: "O batismo de João não tinha validade para a igreja, por isso Paulo rebatizou em At 19."

- Agora vejamos as palavras do apóstolo Paulo em Atos 19.2: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes?

Veja que Paulo está colocando em dúvida a posição espiritual deles! E não o batismo de João! Peço que reveja a sua posição, pois acho um absurdo afirmar que o batismo de João não tinha validade para a igreja, pois a seguir ele diz em Atos 19.4: Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em JESUS. A bíblia toda aponta para JESUS e aquele batismo não é diferente, e você afirma que o batismo de João não valeu?! Na minha humilde opinião, penso que o batismo valeu, aquelas pessoas é que não entenderam! Por isso é que foram batizadas de novo! Isso é o que deveria ser feito com todas as pessoas que foram batizadas e seguem a sua vida sem entender, isto é o que está dizendo o apóstolo (o mesmo diz aqui na minha bíblia de estudo Macarthur).

6 - Você disse que:"todos os relatos q falam da necessidade de se crer para ser batizado está se falando de uma igreja num contexto missionário, dentro de uma realidade evangelística, logo não está em questão a criança, pois a mesma não pode entender a mensagem,"

- Concordo quando você diz que a criança não pode entender a mensagem. Então quando você batiza uma criança, não pode mesmo ter certeza se o batismo valeu ou não, porque, quando ela crescer, será necessário entender, e terá que fazer com ela o mesmo que o apóstolo Paulo fez, quando perguntou se aquelas pessoas realmente tinham se arrependido e recebido o Espírito Santo através da fé em JESUS. Portanto acho muito mais certo esperar que a criança tenha o entendimento do real significado do ato de uma vez por todas, para se ter certeza de que o batismo foi realmente válido ou não. Pois de acordo com a própria bíblia (Atos 19.2-5), tem muitas pessoas que foram batizadas mas o seu batismo, simplesmente, não valeu.

7 - Você disse: "A Bíblia fala que quem não crer já está condenado (as crianças não serão salvas?), as pessoas com problemas mentais irão para o inferno?"

- Isto não está em questão, o problema não é uma criança ainda pequena ou as pessoas especiais, pois creio que nesta condição todos estão salvos, mas a preocupação está no futuro dessas crianças que são batizadas sem entendimento, para que elas não se tornem como aquelas pessoas do contexto de Atos 19.1-5, que estavam sem a compreensão necessária da obra de salvação que é realizada em Cristo Jesus.

Agora veja no contexto atual: As igrejas estão cada vez mais afastadas da leitura e do estudo das escrituras; as escolas dominicais são cada vez menos bíblicas, e as famílias estão cada vez mais longe dos devocionais e momentos de oração em grupo, e aí cabe uma pergunta muito pertinente: Quantas pessoas foram batizadas e ainda caminham por este mundo sem compreender este
ato? Pois elas não tinham mesmo o entendimento no momento do batismo. E se depois no decorrer de suas vidas, não forem ensinadas e levadas a fé em Cristo Jesus, estão salvas? E uma vez que entenderem somente tempos depois, não precisam ser batizados de novo, como o apóstolo Paulo fez? Quantos pais são batizados dizendo-se cristãos e depois batizam toda a sua família, sem no entanto compreender nada do que foi feito? Estão todos salvos? Muitas pessoas pensam que a sua vida e a vida espiritual da sua família já foi resolvida, mas na verdade, não foi!

- Concordo também com o Gilson Moura - Veja: "batizados para remissão de pecados". Isto é totalmente antibíblíco!"

Eu prefiro ficar com o exemplo do apóstolo Paulo e muito mais ainda, com o exemplo maior do Senhor JESUS. Primeiro devemos crer para depois sermos batizados.

Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:16

Nilson disse...

Graça e paz,
Para Paulo Fagundes:
Em vista de algumas objeções levantadas sobre alguns posicionamentos que afirmei, quero esclarecer algumas interpretações equivocadas:
Sou Cristão Reformado, portanto não preciso justificar a minha posição sobre o texto Bíblico ser Cristocêntico. Não quero entrar no debate de princípios hermenêuticos (não queremos montar uma tese monográfica ... rs rs rs)
Sobre a validade do batismo de João, ratificou a minha posição:
João era profeta da Lei (Mt 11,11-14), da Antiga Aliança, ele foi o elo das duas dispensações, o seu batismo não era o batismo cristão, não há uma formula trinitária sendo praticada por João. A sua validade era enquanto a obra de Cristo não estava consumada. Depois disso, não fazia mais sentido batizar segundo a pregação de João. Porém, ele nos lança luz a revelação progressiva do evangelho, assim como os sacrifícios e os rituais de purificação da lei.
Vc está desconsiderando a questão de que o batismo de João era uma prática judaica usada para conversão dos prosélitos. Não podemos entender a Bíblia se desconsideramos uma serie de questões que estão como pano de fundo. A única diferença era que João estava usando tal prática como modo de preparação para a vinda do Reino.

Nilson disse...

Responda-me algumas perguntas:
O Batismo de João era uma prática nova?
Qual era o significado do Batismo de João?
Qual é o significado do Batismo Cristão?

Jesus veio cumprir a lei (Mt 3,15 e 5,17), em momento algum estou desconsiderando a vida de Jesus como exemplo, isso seria uma ignorância da minha parte, mas ao mesmo tempo é uma ignorância afirmar que toda a experiência de Jesus é valida para nós hoje, isso é pueril.
Volto a questão, não fomos nascido debaixo da Lei, Jesus foi circuncidado ao oitavo dia e vc ( Lc 2,21)? Seus pais te apresentaram no templo para ritual de purificação (Lc 2,22-24)? Cristo foi batizado com 30 anos para cumprimento de toda a justiça segundo o ritual de consagração levítica. Vc foi batizado com quantos anos?
Concordo com a afirmativa de ser Jesus é o nosso modelo, mas precisamos entender como.
O batismo de João era para a remissão de pecados, mas Jesus não foi batizado com esta intenção!
Jesus se batizou para cumprir toda a justiça, nós não somos batizados para tal finalidade!
Jesus tinha que se batizar com 30 anos, essa exigência não nos cabe.
O batismo cristão é em Nome do Pai do Filho e do Espírito Santo, este não era o caso do batismo joanino.
O batismo de João era para crer no messias que viria, o batismo Cristão é uma identificação com a morte e Ressurreição de Jesus. Rom 6,3 e Col 2, 12
O Batismo cristão aponta para a obra de Cristo na cruz e o de João não. Há uma lacuna de significados muito grande entre esses dois batismos.

Nilson disse...

O texto de Atos 19 fala de alguns crentes que Paulo encontrou em Éfeso, certamente esses homens eram discípulos de João batista, eles ainda não havia recebido a mensagem do Evangelho, por isso Paulo pergunta sobre o recebimento do Espírito Santo, eles não eram cristãos, por isso não eram batizados no sentido cristão, pois João ensinava as pessoas aguardarem ansiosamente o messias Mc 1. Com esta interpretação concorfda: (comentário da Bíblia de Genebra, comentário da Bíblia Anotada; Billy Graham e comentário da Bíblia Sheedd)
“Paulo resolveu rebatizar aquele grupo porque aquelas pessoas não tinham sido batizadas com o batismo cristão. Não se trata portanto de rebatismo cristão. “
Este texto foi extraído de um livreto sobre batismo que segue uma visão imersionista e anti-pedobatista . Estou usando apenas para lhe apresentar que há diversos autores de escolas diferente de Teologia que não concorda com a opinião de MCarthur.
Efésios 4, 5 a firma que só há um batismo.
Vc disse: “Na minha humilde opinião, penso que o batismo valeu, aquelas pessoas é que não entenderam!”
Contra essa opinião está a Bíblia; a história da Igreja e renomados exegetas bíblicos. Não há um único registro histórico doutrinário da igreja ensinado rebatimos nesse sentido ou em qualquer outro, salvo em algumas exceções.
Pelo contrário, o batismo é ritual de iniciação e não de consumação, ora, ele pode ocorrer num período de pouco entendimento da fé, mas isso não significa que cada vez que avançamos na maturidade cristã teremos que nos submeter a um novo batismo.
Devemos batizar sim, aqueles que vêm de seguimentos heréticos, pois esses não foram batizados na fé cristã.
Quanto as outras objeções,todas repousam sobre o texto de At 19, que com muita sinceridade MCarthur (embora um bom teólogo) deixou a sua visão denominacional falar mais alto que o texto por si só.

Nilson disse...

Quanto a fraqueza das famílias no ensino da educação cristã eu concordo, mas isso não é desculpa para não consagrarmos os nossos filhos a Deus por meio do batismo, pois isso é um ato de fé de que Deus irá cuidar dos nosso. É também um compromisso que temos de educar na verdade confiando que a promessa é também para os nossos filhos. Se Deus no At não deixou de fora os pequeninos, porque na Nova Aliança deixaria ?
Tenho visto nas comunidades pedobatistas um laço familiar mais forte que nas instituições que não batizam seus filhos. Esse fenômeno de cristãos que se desviam com facilidade é fruto de uma outra realidade histórica e cultural.
Historicamente homens quer tiveram com os apóstolos foram batizados na Infância e afirmam em suas s que o batismo infantil foi ensinado pelos apóstolos. Responda-me com toda a sinceridade, será que os mártires da fé cristã do primeiro século entendeu errado o que receberam dos apóstolos? O estranho é acreditar que os cismáticos anabatistas do século XVI descobriram uma verdade que nem os apóstolos sabiam.
João apontava para aquele quer ainda viria (futuro), o batismo instituído por Cristo apontava para o passado, aquilo que Jesus realizou.
Quando Jesus ordenou o seu batismo em Mt 28, 19, o batismo de João não fazia mais sentido pois a morte –ressurreição de Cristo deu inicio a uma nova dimensão da revelação de Deus.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Nilson,

Acho que você precisa ser mais claro e menos contraditório nas suas argumentações, por exemplo:

Primeiro você diz:"Contra essa opinião está a Bíblia; a história da Igreja e renomados exegetas bíblicos. Não há um único registro histórico doutrinário da igreja ensinando rebatismos nesse sentido ou em qualquer outro," mas logo depois afirma: "salvo em algumas exceções."

Amigo essa afirmação é totalmente contraditória! Peço que seja mais claro nas suas afirmações.

Vamos ver o texto bíblico:

Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber em Jesus. (Atos 19.4)

E no versículo seguinte Paulo os batiza:

Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. (Atos 16.5)

Agora eu lhe pergunto e não seja de novo contraditório: João batizou dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus e Paulo batizou em o nome de Jesus. Qual é a diferença que está acontecendo com relação ao batismo de João e de Paulo? Está na bíblia ou está ocorrendo erro de interpretação de alguns teólogos?

Eu continuo com a posição de John Macarthur, acho uma posição coerente, não é confuso e muito menos contraditório.Pense bem nisso antes de argumentar, eu tanto quanto você quero apenas aprender, mas não podemos esquecer a lógica contida no texto.

Isso responde a todas as suas perguntas sobre o batismo de João e o batismo cristão, que na minha opinião são perguntas um tanto confusas e sem sustentação bíblica. Me mostre a sustentação bíblica das suas afirmações que eu estudarei e me esforçarei em responder, e se você estiver certo, então concordarei, mas assim fica difícil. Que Deus nos ajude a compreender mais da sua palavra. Amém.

Paulo Fagundes disse...

Prezado Nilson,

Acho que você precisa ser mais claro e menos contraditório nas suas argumentações, por exemplo:

Primeiro você diz:"Contra essa opinião está a Bíblia; a história da Igreja e renomados exegetas bíblicos. Não há um único registro histórico doutrinário da igreja ensinando rebatismos nesse sentido ou em qualquer outro," mas logo depois afirma: "salvo em algumas exceções."

Amigo essa afirmação é totalmente contraditória! Peço que seja mais claro nas suas afirmações.

Vamos ver o texto bíblico:

Disse-lhes Paulo: João realizou batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber em Jesus. (Atos 19.4)

E no versículo seguinte Paulo os batiza:

Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus. (Atos 16.5)

Agora eu lhe pergunto e não seja de novo contraditório: João batizou dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus e Paulo batizou em o nome de Jesus. Qual é a diferença que está acontecendo com relação ao batismo de João e de Paulo? Está na bíblia ou está ocorrendo erro de interpretação de alguns teólogos?

Eu continuo com a posição de John Macarthur, acho uma posição coerente, não é confuso e muito menos contraditório.Pense bem nisso antes de argumentar, eu tanto quanto você quero apenas aprender, mas não podemos esquecer a lógica contida no texto.

Isso responde a todas as suas perguntas sobre o batismo de João e o batismo cristão, que na minha opinião são perguntas um tanto confusas e sem sustentação bíblica. Me mostre a sustentação bíblica das suas afirmações que eu estudarei e me esforçarei em responder, e se você estiver certo, então concordarei, mas assim fica difícil. Que Deus nos ajude a compreender mais da sua palavra. Amém.

Nilson disse...

Prezado Paulo, me perdor, mas vc não me fornece um único documento ou exegeta bíblico que apoia essa interpretação espúria do texto. Essa é uma convicção sua apoiada por um único interprete.
Eu apresentei textos e te apresento dezenas de outros comentaristas bíblico que pensam diferente.
Vc parece que não leu o meu comentário, e nem as citações bíblicas. O batismo de João apontava para algo futuro, e o Batismo cristão para o passado, é uma identificação com a obra de Cristo, este é o significado do versículo que vc usou.
Eu te apresentei a interpretação de autores batistas, calvinistas e assembleianos, vc só usou um único argumento e um único autor que apoia a heresia do rebatismo que vai contra o texto de Ef 4,5.

E não há nada de contraditório em minha fala, pois o que eu disse é que não há registro histórico e nem bíblico de rebatismo, me apresente apenas um?
"aqueles que vêm de seguimentos heréticos' (modernamente a igreja entende que esses grupos, Testemunha de Jeová e Mórmon, não são cristão, por isso eles são batizados novamente, ou unicamente). É o único caso.
Torno a dizer, me apresenta um único relato e um bom comentarista bíblico, que apoia a sua interpretação, não existe meu irmão, infelizmente vc está sozinho com a sua unica bíblia de estudo.
Um abraço!
Contudo respeito a sua opinião, mas aconselho a estudar mais a historia da igreja e seus documentos.

Paulo Fagundes disse...

Caro Nilson,

Não consigo entender as suas afirmações. O futuro que joão aponta não é Jesus? E o passado que Paulo aponta, não é Jesus?

1 - Você disse: "O batismo de João apontava para algo futuro, e o Batismo cristão para o passado, é uma identificação com a obra de Cristo,"

R: Eu concordo. O batismo de João aponta para o futuro, Jesus! e o batismo de Paulo aponta para o passado, Jesus! João batizou dizendo ao povo que cresse naquele que vinha depois dele, a saber, em Jesus e Paulo batizou em o nome de Jesus.

Exatamente isso! Qual é a diferença que está acontecendo com relação ao batismo de João e de Paulo?!

Você disse: "E não há nada de contraditório em minha fala, pois o que eu disse é que não há registro histórico e nem bíblico de rebatismo, me apresente apenas um?"

R: Está em Atos 19.4-5

Não estou defendendo rebatismos de qualquer jeito por aí, só estou mostrando que tem exceções e que aconteceu na bíblia porque as pessoas não tinham dado verdadeiro testemunho de fé em Cristo Jesus. Estou falando isso porque está na Bíblia, mas se você provar o contrário estou pronto a aceitar.

Agora eu peço a você que me dê pelo menos uma referência na Bíblia que diga que o batismo de joão não valeu! Amado estou pedindo só uma. Você não me mostrou na palavra nada que mostrasse que não valeu, mas eu lhe mostrei o apóstolo Paulo reafirmando o batismo de João. Agora eu pergunto:

O batismo vale mesmo sem que a pessoa seja verdadeiramente convertida? Vale mesmo que ela não dê um testemunho de fé em Jesus, ou só vale para aquele que crê no Senhor Jesus como seu salvador?

Se aquele eunuco (de Atos 8.26-38)tivesse sido batizado, sem que Filipe tivesse lhe ensinado para que assim ele tivesse entendido a palavra? Valeria?! Não foi exatamente por isso que Paulo batizou aqueles discípulos?!

Gostaria de saber essas respostas acompanhadas de referências Bíblicas.

A Paz do Senhor.

Paulo Fagundes disse...

Nilson,

Agora eu quero te mostrar algo antibíblico e que está no texto postado acima e que foi bem observado pelo Gilson Moura:

--o trecho que você escreveu--
Em 418, o Concílio de Cartago declara: "Também os mais pequeninos, que não tenham ainda podido cometer pessoalmente algum pecado, são verdadeiramente batizados para a remissão dos pecados, a fim de que, mediante a regeneração, seja purificado aquilo que eles têm de nascença" (Dz.-Sch., Enquirídio, nº 223).

Veja: "batizados para remissão de pecados". Isto é totalmente antibíblíco!

Você fecha os olhos para isso?!

Contudo também respeito a sua opinião, mas aconselho você a estudar mais a Bíblia!

Abraços!

Willian SUD disse...

“Trazei à Mim, todas as crianças, porque a elas pertence o reino dos céus.” (MATEUS 19:13)

Willian SUD

Nilson dos Santos disse...

Por motivo de trabalho fiquei um pouco ausente, mas venho informá-lo que esta é a última vez que posto sobre este assunto. Não é por falta de argumento, pelo contrário, já li muitos livros sobre o tema em questão e comentários(Agostinho, Lutero, Calvino, Berkhof, Billy Graham, Hodge, John Stott, Shedd entre outros )
Peço vc que eleve este assunto num nível mais profundo e acadêmico. Até agora vc só apresentou comentários subjetivos, Além de vc pecar hermeuticamente, vc não consegue apresentar autores que lhe socorram em seus argumentos pueril.

Desta vez falarei menos e responderei com citações de livros. Peço por gentileza que leia (apesar da extensão do comentário).

Sobre o Batismo em At 19 1-7
Citarei o maior Teólogo deste século, exemplo em conhecimento e piedade, John Stott:

“(...)Podemos fazer as seguintes contestações: a) Em resposta a sua pergunta se eles tinham recebido o Espírito, não disseram um simples “sim” ou “não”, nem mesmo um “não sei” admirado, mas “nem sequer ouvimos que existe Espírito Santo” (v2); B) Então Paulo imediatamente perguntou-lhes sobre o seu batismo (v3), porque o batismo na água é em nome da Trindade (Mt 28,19) e, como veremos, dramatiza , representa o batismo no Espírito. Seu raciocínio era simples: como poderia ter-lhes sido ministrado o batismo cristão, se eles nunca tinham ouvido falar no Espírito Santo? Ele (Paulo) estava correto. Eles não tinham sido batizados; c) O Batismo que eles tinham recebido era o de João Batista, provavelmente em resposta ao ensino de Apolo que havia visitado Éfeso recentemente (At 18, 24-26). (...)”
“Ele prossegue dizendo: (...) Se ele eram discípulos de alguém, então eram de Apolo e João Batista. Não eram cristãos convertidos. Com certeza, eles não podem ser considerados cristãos típicos pelos padrões de hoje.”
O Que Dr Billy Graham, maior evangelista do século XX diz sobre o texto:
“Lendo esta passagem, imediatamente surge a pergunta: estes doze eram cristãos verdadeiros antes de se encontrarem com Paulo? Pareciam nada saber sobre o Espírito Santo e sobre Jesus. Também falavam do batismo de João.”
Livro O Batismo nas Águas:
“O Batismo de João de Batista não era igual o Batismo cristão a não ser na forma ou um pouco mais. Ele batizava na base de arrependimento para remissão de pecados.”
“O batismo cristão é profissão de fé em Jesus cristo como Salvador único, compromisso com Jesus , meio de entrada para a igreja local, símbolo da morte e ressurreição de Cristo e do próprio batizando (...) Vê-se que o Batismo de João batista não continha todos esses elementos.”
Minha contribuição final:
O Batismo cristão é em nome do Pai, Filho e Espírito Santo ( Mt 28, 19), João não batizava assim;
O Batismo Cristão representa a morte e ressurreição de Cristo ( Rm 6,4), o de João apontava para Jesus que ainda viria (totalmente incompleto);
O ensino de João era limitado, pois todo Judeus aguardava um messias terreno que libertaria o povo de Roma. Sendo assim, aqueles que foram batizado por João não eram cristãos, pois lhes faltavam o entendimento da obra de Cristo (morte, ressurreição e ascensão) e também do derramamento do Espírito;
Se os batizados por João não eram Cristão, logo deveriam receber o Batismo cristão caso se convertessem;
O Batismo de João tinha que ter acabado com João, pois ele era profeta da lei. Ele não era Cristão.
Em Efésio 3, 5 diz “Há um só batismo”
“Rebatismo não é Bíblico e sim heresia de igrejas modernas e sectaristas”

Nilson dos Santos disse...

Sobre a Regeneração Batismal
O Evangélico brasileiro sofre de “Complexo de Adão”, acha que o evangelho verdadeiro começou com ele (...). São mais de dois mil anos de história, precisamos conhecer no mínimo os principais pais da igreja, os credos, o surgimento e a expansão das igrejas, os movimentos heréticos e cismáticos, e também as escolas hermenêuticas, para não sermos precipitados em nossas acusações.
Sobre o Concílio de Cartago, o irmão perguntou se eu faço vista grossa sobre a questão da regeneração batismal e me exortou a ler mais a Bíblia.
Quanto a primeira observação, é claro que conheço a história da igreja (sou historiador por profissão e de coração), sendo assim não faço vista grossa, mas procuro mergulhar no entendimento histórico – teológico.
Sobre a recomendação de ler mais a Bíblia, acho que esta serve para todos nós. Procuro estudá-la todos dos dias, comparando as diversas versões existentes, buscando auxilio no grego e hebraico para melhor compreensão de alguns textos. Faço uso também de bons comentários bíblicos, mas deixemos tais questões pessoais de lado.

Acredito que o irmão Gilson que evocou este Concílio para respaldar o Batismo infantil, não estava colocando em debate o entendimento teológico sobre os efeitos do batismo, mas apenas usando este evento para informar que a prática do batismo de criança era existente nos primórdios da igreja. Vc sabe qual era o Tema da discussão neste Concílio?
Desafio qualquer estudioso sério da história da igreja a comprovar que a igreja não batizava criança em seus primeiros séculos.
Os registros a favor são inúmeros e não há nenhum documento que registra algum movimento contrário ao batismo infantil.

Nilson dos Santos disse...

Sobre a regeneração pelo batismo:
Muitos acham que o batismo infantil passou a ser ministrado devido a está doutrina, o que não é verdade.
É comum as coisas ocorrerem e depois tentarem explica-las. É comum uma igreja conservar uma tradição e somente anos ou séculos depois tentarem dogmatizar. Por exemplo: Quem era Jesus? Nos dias de Cristo não havia ninguém pensando em elabora um credo ou um tratado sobre a Trindade. Hoje é fácil responder essa pergunta, mas no início da igreja, homens como Irineu, Tertuliano, Agostinho, Atanásio precisaram quebrar pedra para apresentar uma definição teológica.
Quando você ler a Bíblia depois desses homens, fica fácil encontrar a trindade nela. Jesus veio ao mundo, depois ele foi interpretado; Ele instituiu a Santa Ceia, depois teologaram (Transubstanciação, Consubstanciação , memorial, presença mística); primeiro Cristo instituiu o Batismo, depois pensaram em seu significado teológico.
O Batismo infantil era praticado desde os primórdios da igreja, isso é comprovado por fontes históricas, mas o significado do batismo foi um desenvolvimento teológico posterior. Assim como a Trindade, não veremos na Bíblia essa expressão, mas homens como Tertuliano e Agostinho foram os primeiros a pensarem a questão.
Apesar de eu não concordar com a Regeneração Batismal, devo admitir que esta era crida na igreja nos primeiros séculos e posteriormente tb.
Devo tomar muito cuidado antes de acusar os irmãos do passado, pois é graças a esses homens que temos Credo, Teologia, confissão de Fé, Novo Testamento etc.
A igreja no início estava mais fundamentada na tradição oral do que na escrita, pois não havia ainda o Novo Testamento. Este surgiu duma necessidade de responder as heresias. Homens como Irineu ajudou a estabelecer o Canon.
Os pais da igreja em sua maioria foram homens piedosos, homens santos de qualidade e padrão espiritual muito elevado. Muitos foram mártires e tiveram experiências sobrenaturais com Deus, foram gigantes na fé e no testemunho.
Devo deixar claro que não concordo com a regeneração batismal, mas essa doutrina não foi criada pela igreja católica romana, pois os escritos dos pais antenicenos da Igreja falam sobre o Espírito atuando no Batismo da mesma maneira que em Gn 1, 2, gerando vida. Homens como Tertuliano, Agostinho e toda a igreja antiga e medieval acreditava desta forma.
A Reforma de Lutero também manteve essa doutrina (até hoje luteranos acreditam ) e tb os Anglicanos assim como muitas igrejas modernas pentecostais, ex: Paz e vida.

O rompimento com esta interpretação se deu com Zuinglio e Calvino que recorreram a teologia do pacto.
Para esses Reformadores o batismo é sinal do pacto, da aliança.
Para os Luteranos, o Batismo é o meio pela qual Deus aplica a obra de Cristo. Eles acreditam que não é apenas o rito da água, mas a água com palavra. ( Ef 5.26 ;Jo 3,5; T 3,5). (Estes textos por exemplo, são utilizados para fundamentar tal doutrina)
Os Crentes primitivo levavam tão a sério essa questão do Batismo que muitos deles não acreditavam ter perdão para pecados cometidos depois do batismo. Eles se esforçavam para viver uma vida de santidade plena.
Devemos lembrar que estamos falando de um cristianismo em formação e desenvolvimento teológico.

Negar o Concílio de Cartago só por causa da regeneração batismal, é uma sandice intelectual, pois esta visão não foi inventada neste Concílio, ela já existia desde o século II no mínimo, basta ler algum pai da igreja deste período

Se é para ser radical, então não se deve aceitar o canon do Novo Testamento, pois foi formado por esses homens; não aceite a doutrina da Trindade, assim como a dupla natureza de Cristo e a inspiração Bíblica, pois foram esses homens que pensavam assim que nos legaram tais coisas.
Sejamos sensatos irmãos, o que vc usa como lente para enxergar o texto Bíblico foi lente oferecida por alguém, busque saber de quem vc pegou emprestado, para não falar bobagem.

Anônimo disse...

Até gostaria de ver na bíblia alguma referencia ou algum discípulo de jesus, ou apostolos, batizando uma criança sem pecados.

Quem peca tem cosciencia do ato, ua criança arteira não é pecadora até porque a faz por inocência e aprende com a arte.

Arrependei e batizai. ou seja não se batiza primeiro para se arrepender depois. e uma criança não sabe do que se arrepender e não tem discernimento disso.

Apartir dos 12 anos, ou apartir da maioridade de cada país impostas aos cidadãos, estes teriam conciência de seus atos e podem tomar decisões por si próprios. arrepender e batizar em nome de Jesus, o único salvador e somente ele pode nos perdoar dos nossos pecados.

Portanto Batismo é coisa séria, e deveria ser tratado como tal. batizar crianças é o mesmo que pedofilia, é abuso, é uma transgressão aos direitos de escolha. uma vez que uma criança não sabe o que quer.

Daniel disse...

Li praticamente tudo, do texto aos comentários. E vejo que há aspectos a favor das duas posições. Mas não vi nenhuma passagem bíblica explícita, no NT, para defender o batismo de crianças. Citar autores, práticas da igreja dois ou três séculos DC, etc, até pode ser válido. E o fato de a Bíblia não relatar batismos de crianças não comprova que ele não ocorria. Mas é um forte indício, ainda mais somada a todas as citações textuais do batismo apenas após a conversão. Enfim, se alguém puder, que publique algumas passagens bíblicas do NT para sustentar claramente o batismo infantil, sem rodeios e análises. Fora isso, é apenas interpretação humana. E aí cada um pode ter a sua. Abraços.

Anônimo disse...

Seria mais prudente partirmos para discussões mais urgentes para o momento em que vidas ao milhares são ceifadas sem o Salvador. O que vocês acham?
Por isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus,
E da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno.
E isto faremos, se Deus o permitir.
Hebreus 6:1-3

Leonardo Gabai de Morais, Jr. disse...

Criança sem pecados?????

kkkkkkkkkkkkk

Eu si divirtu!!!!!!

Juliano Alves Basílio disse...

Bom irmãos como outros ja diseram, eu também não tenho profundo conhecimento em teologia, mas creio que Deus por meio do Espírito Santo nos capacita.
Sou uma Cristão Protestante,nascido no berço evangêlico. Então, tenho uma real experiência em relação ser batizado quando criança e hoje como resultado a presença de Deus se faz mais eficaz na minha vida. Não quero dizer que só porque a pessoa foi batizada quando criança é salva e que não vai se desviar do caminho do Senhor. Mas quero informar que o batismo infantil é uma benção do Senhor.
No antigo testamento Deus faz uma aliança com Abraão (Gn 17) Deus ,então, institui um sinal dessa aliança: a circuncisão(Gn 17.9-14). A circunsisão demostrava a necessidade de purificação do pecado.Era um símbolo que apontava a semente da mulher que pisaria a cabeça da serpente.(Gn 3.15) Outro aspecto importante é que quando o homem era circunsidado ele passava a pertencer à comunidade da aliança, o que lhe garantia acesso especial aos benefícios decorrentes dela. Assim, todos os machos, independentemente de idade, deveriam participar das promessas, estipulações e todos os meios instituídos por Deus para a manuntenção do seu povo.
Os circunsidados eram exertados na aliança. Isso representava consagração a Deus. Todos os que eram circunsidados eram trazidos para a família. É o mesmo que ocorre com o batismo, a pessoa é recebida na comunidade física da aliança, isto é, na igreja, e também recebe o selo do Espírito Santo. São dois aspectos importantes: o pertencimento físico à comunidade da fé e o selo do Espírito Santo. Nesse sentido a resposta à pergutna 165 Catecismo Maior de Westminster declara que o "batismo é um sacramento no Novo Testamento no qual Cristo ordenou a lavagem com água em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, para ser um sinal e selo de nos unir a si mesmo, da remissão de pecados pelo seu sangue e da regenaração pelo seu Espírito; da adoção e ressurreição para a vida eterna; e por ele os batizandos são solenemente admitidos à igreja visível e entram em um comprometimento público, professando pertencer inteira e unicamente ao Senhor" (Mt 28,19; Mc 1.4; Jo 3.5; 1Co 15.29; Rm 6.3-4; Gl 3.26-27; At 2.41; 22.16; Tt 3.5; Ap 1.5).
Por outro lado, aqueles que eram chamados "incircuncisos" eram eliminados do povo de Deus (Gn 17.14). Aqueles que não participavam do processo de professar publicamente a fé, neste caso com a marcação no próprio corpo, não seria admitidos na promessa e estariam, automaticamente, fora dos planos salvíficos de Deus. Algo semelhante acontece em relação ao batismo.No Breve Catecismo de Westminster, na resposta à pergunta 95, lemos:" O batismo não deve ser ministrado Àqueles qu estão fora da igreja visível, enquanto não professarem sua fé em Cristo e sua obediência a ele; mas os filhos daqueles que são membros da igreja visível devem ser batizados(At 18.8;Gn 17.7-14; At 2.38-39; 1Co 7.14)". Observa que aqueles que não são de Cristo não devem receber este selo.

Juliano Alves Basílio disse...

A circuncição era apenas um símbolo que apontava algo maior (Derramamento do Sangue de Jesus). MAs, se este algo maior não se concretizasse pela fé, tudo estaria perdido. Assim também é hoje: muitos são batizados, mas nem todos pertencem à verdadeira família da fé - somente aqueles que obedecem a Cristo.(Rm 9.6-8.)Nem a descedência física pode levar a savação se não permanecer firme em Cristo. Muitos acham que por ter sido batizado na infância estão seguros. Esta não é a ralidade bíblica. Os que foram batizados na infância apenas foram selados pelo sinal, mas precisam obedecer a Cristo - que é o verdadeiro sinal da profissão de fé.
Por outro lado, Deus mantém a sua visão de família. Ele estende sua benção, como prometera a Abraão, para os "descendentes". Ele havia dito:" Estabelecerei a minha aliança entre mim a ti e a tua descendência no decurso das suas gerações, alinça perpétua" (Gn 17.7) Deus afirma" e a tua descendência no decurso das suas gerações". Sim, a promessa é para a família. Aqueles que são recebidos na aliança estendem suas bençãos à família.
(texto tirado da revista Editora Cultura Cristã.)
-> Se quer saber mais sobre o Breve Catecismo de Westminster entre no site http://www.mackenzie.br/10993.html.
Portanto meus irmãos, o batismo infantil é instituido na bíblia e é uma benção de Deus. Ele é um selo da aliança. É muito importante na vida do cristão. Indica que estamos sendo consagrados a Deus e, consequentemente, entramos na aliança, recebendo todas as bençãos e nos comprometendo com a sua palavra. "Ensina a criança o caminho que deve andar e ainda quando for velho, não se desviará dele.” Provérbios 22:6.
Deus os abençoe.

Cláudio Pereira disse...

Quero parabenizar os comentários e as respostas esclarecedoras do Rev Davi Nascimento da IPI Betel e do CristaoReformado. Não sei qual é a dificuldade de entender suas explicações que são contundentes. Chega a um certo ponto que não ainda mais falar se a pessoa não quer entender ou aceitar. A parte que coube a vocês fazerem, fizeram muito bem.

Cláudio Pereira
Igreja Presbiteriana Riachuelo (RJ)

Anônimo disse...

vcs que não acreditam em batismo infantil leiam atos 2 37;41 e prestem atenção no versículo 39 sem comentários não estou pra discutir com ninguém e tirem suas conclusões.amem

ELVIS ACELINO disse...

Batismo Infantil? Batismo Adulto? Ordenanças? Dispensacionalismo? No meu entender e desculpem-me a imcompreensão teológica, o que precisamos mesmo é "ter a intimidade com o Pai" é "viver o Evangelho", evangelho de bairro mesmo, Evangelho que Teólogos e aqui no debate temos alguns, não conseguem vivê-lo, não conseguem transmiti-lo às pessoas que realmente tem a necessidade de ouvi-lo. As primeiras palavras deste mal escrito texto, deveriam ser: Amor; Esperança; Conforto; Consolo; Solidariedade, etc...É muita questão e preciso deixar aqui uma "perguntinha", você ja falou de JESUS para alguem ontem? hoje? não??? Deve ser porque estamos ocupados demais tentando descobrir a forma ou i idade correta para se batizar pessoas e ou crianças, sei lá, deve ser.

Jacinto disse...

...na verdade o que devemos ter como primicia é o que está escrito em Jo 3:16 que diz " Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que Nele crer, não pereça mais tenha a vida eterna" Jacinto - Presbiteriana de S.B.C

Sisi disse...

A quem interessar, possa, envio este link do pastor Hernandes Dias Lopes, onde ele aborda alguns dos motivos pelo qual algumas das igrejas reformadas, afirmam e praticam a prática do batismo infantil:

http://hernandesdiaslopes.com.br/2004/05/batismo-infantil/#.VIcs6NLF-xI

Paz e graça seja, com os que amam a Cristo e amam Sua Volta.

Leonardo Sebastião de Souza disse...

irmãos fui batizada quando criança na igreja católica e mesmo tendo sido batizada numa igreja católica acredito que foi marcada para ser dele pois hoje estou na igreja presbiteriana, já fui batista e também da assembleia e o que eu mais quero é estar perto do Senhor e o que mais me aproxima é o seu amor, a sua misericórdia, e a sua palavra. porque tanta discórdia respeitemos o pensamento de cada um e vamos proclamar o evangelho que é o mais importante. É o mandamento mais perfeito para todo crente de qualquer denominação portanto deixemos de discutir certos pensamentos. e vamos cumprir o ide de Jesus

Raul Tejo disse...

Se a Igreja Presbiteriana americana consagra até homossexuais pastores e pastoras, o batismo é o de menos.

Raul Tejo disse...

Se a Igreja Presbiteriana americana consagra até homossexuais pastores e pastoras, o batismo é o de menos.

Fabio Mesquita disse...

Onde Shedd falou isso?

Ester Mattos disse...

Amigo, se você cita o pacto feito no velho testamento em relação a circuncisão que hoje é o batismo de crianças, então eu te pergunto: Os dez mandamentos são seguidos pelas pelos irmãos cristãos ou foram abolidos? Se uma parte do cristianismo de hoje não guardam o quarto mandamento. E veja que foi escrito pelo o próprio DEUS!! (êxodo 31:18) E muitos não obedecem, preferem seguir o que o homem fala e escreve.

Se puder me responder com respeito, educação e sem ironia, eu agradeço.

Ester

Ester Mattos disse...

Amigo, se você cita o pacto feito no velho testamento em relação a circuncisão que hoje é o batismo de crianças, então eu te pergunto: Os dez mandamentos são seguidos pelas pelos irmãos cristãos ou foram abolidos? Se uma parte do cristianismo de hoje não guardam o quarto mandamento: "LEMBRA-TE do dia do sábado,para o santificar E veja que foi escrito pelo o próprio DEUS!! (êxodo 31:18), porque esse mandamento se inicia com "LEMBRA-TE", porque na sua oniciencia ele sabia que muitos não obedeceriam, pois preferem seguir o que o homem fala e escreve.

Se puder me responder com respeito, educação e sem ironia, eu agradeço.

ATALAIA disse...

Heresia e das bravas! Está claro que o batismo se relaciona ao arrependimento e o crer de todo coração, condições estas que não estão ao alcance de bebês. batismo infantil e batismo por aspersão são inválidos At 8:36 e 37.

Anônimo disse...

uma criança não precisa ser batizada ou incluída em um pacto, pois JESUS disse que á elas já pertencia o reino do céu.elas não precisam crê para ser salva , ou crê para serem batizada, elas são salvas e pronto ! .

Anônimo disse...

Pois é...parece que o assunto ficou fora do cânon.

Unknown disse...

Mateus 19,14 JESUS manda deixarem ir ate Ele as crianças pois o Reino do céu é delas e de quem se assemelha a elas. (Ou seja, Jesus contabiliza as crianças qd Ele fala a palavra todos, correto? Visto que ele não era como os homens pecadores e preconceituosos).
Mateus 28,18-19 JESUS diz aos seus discípulos Ide e ensinai a todas as nações, batizai-as em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo" Aqui Jesus dá autoridade e manda os discípulos batizar a todos e não faz restrições.

Atos 2,38-39 PEDRO (já com a autoridade que Jesus lhe deu, responde ao povo que quer saber como ser salvo) "Arrependei-vos e CADA um de vos sejam batizados, para demissão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito. Pois a promessa é para VÓS, para VOSSOS FILHOS e para todos que ouvirem de linge o apelo do Senhor.

Outra, muito bem colocada. Se na antiga aliança as crianças recebiam a circuncisão, porque no Novo testamento, ou seja, na Nova Aliança, Jesus as excluia? Isso não condiz com as palavras de Jesus pedindo aproximação das crianças.

Bem, esse é meu ponto de vista mediante ao que tenho lido. Espero poder ter contribuido com um novo olhar sobre o assunto.
Que Deus o abençoe.

Erika Sales disse...

Mateus 19,14 JESUS manda deixarem ir ate Ele as crianças pois o Reino do céu é delas e de quem se assemelha a elas. (Ou seja, Jesus contabiliza as crianças qd Ele fala a palavra todos, correto? Visto que ele não era como os homens pecadores e preconceituosos).
Mateus 28,18-19 JESUS diz aos seus discípulos Ide e ensinai a todas as nações, batizai-as em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo" Aqui Jesus dá autoridade e manda os discípulos batizar a todos e não faz restrições.

Atos 2,38-39 PEDRO (já com a autoridade que Jesus lhe deu, responde ao povo que quer saber como ser salvo) "Arrependei-vos e CADA um de vos sejam batizados, para demissão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito. Pois a promessa é para VÓS, para VOSSOS FILHOS e para todos que ouvirem de linge o apelo do Senhor.

Outra, muito bem colocada. Se na antiga aliança as crianças recebiam a circuncisão, porque no Novo testamento, ou seja, na Nova Aliança, Jesus as excluia? Isso não condiz com as palavras de Jesus pedindo aproximação das crianças.

Bem, esse é meu ponto de vista mediante ao que tenho lido. Espero poder ter contribuido com um novo olhar sobre o assunto.
Que Deus o abençoe.

Erika Sales disse...

Não entendi meu irmão. A fonte que vc usou é haloween festa das bruxas? 🤔

Erika Sales disse...

Mateus 19,14 JESUS manda deixarem ir ate Ele as crianças pois o Reino do céu é delas e de quem se assemelha a elas. (Ou seja, Jesus contabiliza as crianças qd Ele fala a palavra todos, correto? Visto que ele não era como os homens pecadores e preconceituosos).
Mateus 28,18-19 JESUS diz aos seus discípulos Ide e ensinai a todas as nações, batizai-as em Nome do Pai, Filho e Espírito Santo" Aqui Jesus dá autoridade e manda os discípulos batizar a todos e não faz restrições.

Atos 2,38-39 PEDRO (já com a autoridade que Jesus lhe deu, responde ao povo que quer saber como ser salvo) "Arrependei-vos e CADA um de vos sejam batizados, para demissão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito. Pois a promessa é para VÓS, para VOSSOS FILHOS e para todos que ouvirem de linge o apelo do Senhor.

Outra, muito bem colocada. Se na antiga aliança as crianças recebiam a circuncisão, porque no Novo testamento, ou seja, na Nova Aliança, Jesus as excluia? Isso não condiz com as palavras de Jesus pedindo aproximação das crianças.

Bem, esse é meu ponto de vista mediante ao que tenho lido. Espero poder ter contribuido com um novo olhar sobre o assunto.
Que Deus o abençoe.

Hermes N. disse...

Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?
E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.
E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou.
Atos 8:36-38 É PRECISO CRER!!!!!