rss
email
twitter
facebook

sábado, 21 de maio de 2011

Ricardo Gondim, despede-se da revista ULTIMATO

Despeço-me da Revista Ultimato

Ricardo Gondim

Após quase vinte anos, fui convidado a “des-continuar” minha coluna na revista Ultimato. Nesta semana, recebi a visita de Elben Lenz Cesar, Marcos Bomtempo e Klênia Fassoni em meu escritório, que me deram a notícia de que não mais escreverei para a Ultimato. Nessa tarde, encerrou-se um relacionamento que, ao longo de todos esses anos, me estimulou a dividir o coração com os leitores desta boa revista. Cada texto que redigi nasceu de minhas entranhas apaixonadas.

Fui devidamente alertado pelo rev. Elben de que meus posicionamentos expostos para a revista Carta Capital trariam ainda maior tensão para a Ultimato. Respeito o corpo editorial da Ultimato por não se sentir confortável com a minha posição sobre os direitos civis dos homossexuais. Todavia, reafirmo minhas palavras: em um estado laico, a lei não pode marginalizar, excluir ou distinguir como devassos, promíscuos ou pecadores, homens e mulheres que se declaram homoafetivos e buscam constituir relacionamentos estáveis. Minhas convicções teológicas ou pessoais não podem intervir no ordenamento das leis.

O reverendo Elben Lenz Cesar, por quem tenho a maior estima, profundo respeito e eterna gratidão, acrescentou que discordava também sobre minha afirmação ao jornalista de que “Deus não está no controle”. Ressalto, jamais escondi minha fé no Deus que é amor e nos corolários que faço: amor e controle se contradizem. De fato, nunca aceitei a doutrina da providência como explicitada pelo calvinismo e não consigo encaixar no decreto divino: Auschwitz, Ruanda ou Realengo. Não há espaço em minhas reflexões para uma “vontade permissiva” de Deus que torne necessário o orgasmo do pedófilo ou a crueldade genocida.

Por último, a Klênia Fassoni advertiu-me de que meus Tweets, somados a outros textos que postei em meu site, deixam a ideia de que sou tempestivo e inconsequente no que comunico. Falou que a minha resposta à Carta Capital sobre a condição das igrejas na Europa passa a sensação de que sou “humanista”. Sobre meu “humanismo”, sequer desejo reagir. Acolho, porém, a recomendação da Klênia sobre minha inconsequência. Peço perdão a todos os que me leram ao longo dos anos. Quaisquer desvarios e irresponsabilidades que tenham brotado de minha pena não foram intencionais. Meu único desejo ao escrever, repito, foi enriquecer, exortar e desafiar possíveis leitores.

Resta-me agradecer à revista Ultimato por todos os anos em que caminhamos juntos. Um pedaço de minha história está amputada. Mas a própria Bíblia avisa que há tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou. Meu amor e meu respeito pela família do rev. Elben, que compõe o corpo editorial da Ultimato, não diminuíram em nada.

Continuarei a escrever em outros veículos e a pastorear minha igreja com a mesma paixão que me motivou há 34 anos.

Fonte: http://www.ricardogondim.com.br/

13 comentários:

Sidnei disse...

É lamentavel quando vemos pessoas que tem até uma certa influencia,se perder na sua suposta inteligência,como pode uma pessoa que se diz pastor ser contrário a Biblía e continuar ensinando a própria, como vou ensinar uma coisa,sendo que o livro que é meu manual de vida e fé diz ao contrario?,como vou dizer que Deus não é soberano em tudo quando a Palavra nos ensina que Deus é soberano em tudo, como vou dizer que nem todos os homossexuais estão errados, segundo ele só os promíscuos estão, quando a Palavra me ensina que a atitude homossexual é abominação, estamos chegando ao tempo em que a Biblía nos avisou que muitos pela pressão abandonariam a propria fé, e o pior muitos estão abandonando mas continuam dentro das Igrejas com títulos e toda a pompa. O caminho para a Salvação é estreito,o caminho para perdição é largo e muitos entrarão por ele . Shalom

ANTONIO FLÁVIO disse...

Pergunto: Se Deus não está no controle de todas as coisas, quem está? Será que há uma força ou uma pessoa maior que o Deus da Bíblia?
Se não creio na soberania absoluta de Deus, então não creio no Deus da Bíblia.
O grande problema de pessoas teístas, como, por exemplo, o pastor Ricardo Gondim, é que elas tem dificuldades em aceitar tragédias humanas como não sendo parte de um plano Divino. Como se Deus não fosse o autor do plano, no qual o profeta Oséias seria "corneado" por sua mulher. As dificuldades do homem em não aceitar as ações Divinas, não param as mãos ágeis e hábeis de Deus no curso dessa humanidade caída, matando e livrando homens, mulheres
e crianças da morte. Quer coisa mais estranha do que matar seu próprio filho em pró de vermes como nós? Quem explica isso? O amor que humilha, que rasga a carne e que mata. Deus é o Senhor do Amor, todavia na perspectiva divina e não na humana, que é tosca e vesga, que vai até onde minha mente alcança. Lembrem-se, amigos: Caim também ofertou, mas sua oferta foi recusada por Deus. Ou é como Deus quer, ou nada feito. Paz.

Jhonatan Alves da Silva disse...

Fico feliz quando descubro que alguém (Principalmente os “PAPAS” do evangelicalismo atual), foi ”banido” de algum veículo de comunicação evangélico, por motivo de heresia. Eis o motivo da minha felicidade: Ainda existe um remanescente fiel. Que Ricardo Gondim seja banido de todos os meios de comunicação. Ele é uma ameaça ao Cristianismo e uma vergonha.

tecedoradehistoria disse...

Pastor Ricardo Gondim agradeço ao nosso PAI DO CÉU pela sua vida, aceite minha admiração e respeito . Fui abençoada incontáveis vezes com suas palavras .
Te desejo dias leves , paz e alegria.

Loide Muniz

Gilmar disse...

Quero parabenizar o Pr. Ricardo Gondim pela coragem de colocar o que pensa sobre assuntos polêmicos como esse tema. Infelizmente “Pensar” não faz parte da cultura brasileira e muito menos de alguns grupos evangélicos que rotulam como “os donos da verdade” e não aceitam nada fora da interpretação literal das escrituras . Infelizmente esses grupos fundamentalistas são miopes na fé e não querem ser questionados em suas Doutrinas . Caro Pr. Gondim , Parabens pela sua coragem e pela ousadia de por a cara “as tapas” precisamos de lideres como você que faz as pessoas refletirem o que é rotulado como verdade.O que falta para a igreja brasileira é mais reflexão e menos sensacionalismo . Já dizia John Stott “Crer é tambem pensar”
Fique na Paz

Mariely disse...

Tenhho a mesma opinião do pastor em relação aos direito civis dos homosexuais. Essa opinião não muda em nada a minha consciência de que a referida prática é pecado e abominação a Deus. O Estado não é cristão, é laico, não pode negar amparo jurídico aos casais homosexuais. A lei maior do Estado não é a Bíblia (infelizmente) mas a Constituição Federal, que garante (ao menos no papel) tratamento igualitário a todos.

donnanina disse...

Esse circo chamado Brasil é laico ou não é?
Gondim recebe meu respeito e admiração, o resto é politicagem disfarçada de evangeliquês de quinta...

Moacir Morais disse...

Acho muito engraçado. Tem tanto líder herético,e pior, famosos, ricos e intocáveis. Não entendo o critério da revista. Metem o pau no Frank Viola,excomunga Ricardo Gondim, demoniza os sem igreja,já li tanta bobagem nesta revista, e nem por isso desacredito dela, porque acho que o conteúdo no geral e bom, do outro lado faz vistas grossas a um tanto de sujeira no meio evangélico, meio este que me desvinculei, mas continuo no evangelho. E não existe nenhum mortal religioso que vai me condenar ao inferno por ter tomado esta decisão a seis anos já. Se voces da revista usarem critérios justos, vão ter que fecha la. E aí? Todos nós em um momento na vida podemos ter posições provocativas. O problema que neste meio tem que rezar na cartilha, quem não fizer está fora e pronto. Vamos expor idéias, discuti las, divulga las e deixar as pessoas analisa las, e assim concebe las ou não.Qual o problema? Liberdade de expressão é direito garantido. Agora a revista tem dono, o dono não quer, fazer o que!

Moacir Morais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moacir Morais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Herta de Oliveira Scarascia disse...

Que sorte a sua, Ricardo Gondim. Sinta-se, finalmente, o que sempre foi: um livre pensador. Essa história de tolher a liberdade me cheira Ditadura/Repressão. Fale dos homossexuais. Grite alto nas praças e escolas: eles são filhos de Deus. E a justiça dos homens já lhes deu o direito que os fundamentalistas, vestidos de laicos, de mente aberta, querem tirar, se possível "curar" (sic) e quiçá salvar suas almas perdidas. Oh! Há algo de podre no reino da Dinamarca.

Herta de Oliveira Scarascia disse...

Que sorte a sua, Ricardo Gondim. Sinta-se, finalmente, o que sempre foi: um livre pensador. Essa história de tolher a liberdade me cheira Ditadura/Repressão. Fale dos homossexuais. Grite alto nas praças e escolas: eles são filhos de Deus. E a justiça dos homens já lhes deu o direito que os fundamentalistas, vestidos de laicos, de mente aberta, querem tirar, se possível "curar" (sic) e quiçá salvar suas almas perdidas. Oh! Há algo de podre no reino da Dinamarca.

edinho disse...

Graças a Deus. A presença de alguém que não se curva à soberania divina me fez pular fora do bonde da Ultimato, para não ser cúmplice do seu humanismo, sem participante dos seus flagelos