rss
email
twitter
facebook

quarta-feira, 2 de março de 2011

Pedofilia é “orientação sexual”, dizem especialistas no Parlamento do Canadá

Por Rebecca Millette


OTTAWA, Ontario, Canadá, 28 de fevereiro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Numa recente sessão parlamentar sobre um projeto de lei relativo a crimes sexuais contra crianças, especialistas em psicologia afirmaram que a pedofilia é uma “orientação sexual” comparável à homossexualidade ou heterossexualidade, uma definição que foi questionada por um membro do Parlamento que estava presente.

O projeto de lei C-54, uma Lei que servirá de Emenda ao Código Penal, busca aumentar ou impor penas ou castigos mínimos obrigatórios para criminosos sexuais de crianças em casos de crimes específicos.

O debate no Parlamento em 14 de fevereiro focalizou na prisão compulsória mínima e como os criminosos reagem a tratamento. O Dr. Vernon Quinsey e o Dr. Hubert Van Gijseghem, especialistas na questão, foram chamados para dar testemunho.

“Quando falamos de terapia ou quando indivíduos recebem terapia e sentimos como se todos tivessem sido apaziguados, a boa notícia é muitas vezes ilusória”, disse Van Gijseghem, psicólogo e professor aposentado da Universidade de Montreal.

“Os pedófilos não são simplesmente pessoas que cometem um pequeno delito de tempos em tempos. Pelo contrário, eles têm conflitos com o que equivale a uma orientação sexual exatamente como outro indivíduo pode estar em conflito com a heterossexualidade ou até mesmo a homossexualidade”, frisou Van Gijseghem.

“Os verdadeiros pedófilos têm preferência exclusiva por crianças, o que é a mesma coisa como ter uma orientação sexual. Não se pode mudar a orientação sexual de uma pessoa”. Contudo, ele acrescentou: “Apesar disso, ele poderá permanecer numa vida de abstinência”.

O parlamentar Serge Ménard mais tarde elogiou as testemunhas. “O sr. Van Gijseghem e o sr. Quinsey”, disse Ménard, “corrigiram algumas de nossas impressões”.

Entretanto, o parlamentar Marc Lemay do Bloco Quebequense desafiou a definição de Van Gijseghem. “Tenho de admitir que eu não estava esperando, neste Dia dos Namorados, estar falando sobre esse tipo impróprio de amor. Não é realmente amor. Tem mais a ver com violência e controle. Estou preocupado, Professor Van Gijseghem… pois você diz, se não me engano, que a pedofilia é uma orientação sexual”.

“Eu disse exatamente isso”, continuou Van Gijseghem.

Lemay continuou na questão, perguntando se pois a pedofilia deveria “ser comparada à homossexualidade”.

“Sim, ou heterossexualidade”, respondeu Van Gijseghem. “Se, por exemplo, você estivesse vivendo numa sociedade em que a heterossexualidade fosse condenada e proibida e você recebesse ordem de passar por terapia para mudar sua orientação sexual, você provavelmente diria que isso é um pouco doido. Em outras palavras, você não aceitaria isso de forma alguma. Eu uso essa analogia para dizer que sim, realmente sim, os pedófilos não podem mudar sua orientação sexual”.

Durante seu testemunho, Quinsey, professor emérito de psicologia na Universidade da Rainha, disse que os “interesses sexuais” dos pedófilos têm “preferência por crianças antes da puberdade”. “Não há nenhuma evidência”, disse ele, “de que esse tipo de preferência pode ser mudado por meio de tratamento ou por meio de qualquer outra coisa”.

“Dá para controlarmos o risco que os criminosos sexuais apresentam — até mesmo pedófilos”, acrescentou Quinsey, “Não é necessariamente que eles precisem mudar a orientação sexual deles; eles precisam aprender a se controlar, com nossa ajuda”. “Em minha opinião, a sociedade e ninguém neste debate aceitará a pedofilia, ainda que seja uma orientação sexual”, disse Lemay, “Recordo um período, não muito tempo atrás, em que a homossexualidade era tratada como uma doença. Agora, a homossexualidade é aceita; a sociedade a aceitou… Não consigo imaginar a pedofilia sendo aceita em 2011. Você está me dizendo que ainda que impuséssemos uma pena mínima de cinco anos nas pessoas, isso não resolveria o problema. Logo que saírem da cadeia, voltarão a cometer o mesmo crime. Isso é preocupante”.

Brian Lilley, colunista do jornal Toronto Sun, expressou choque com o testemunho de Van Gijseghem: “o que realmente me chocou foi o Dr. Hubert Van Gijseghem, professor da Universidade de Montreal, que apareceu para dizer aos parlamentares que a pedofilia é uma orientação sexual exatamente como a heterossexualidade ou homossexualidade”. Ele argumentou que “é hora de recuperamos nosso país. Para isso, temos de ignorar os ‘especialistas’”.

Contact information for Members of Parliament
Para ler a sessão parlamentar inteira, clique aqui.
Traduzido por Julio Severo: http://www.juliosevero.com/
Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/news/pedophilia-a-sexual-orientation-experts-tell-parliament

24 comentários:

Elaiineh Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaiineh Ferreira disse...

que absurdo como alguem pode disser um absurdo deste ?????
que legal agora criar uma lei pra amenizar a pena destes monstros.
ficou cada dia mais pasma com o que vejo... ninguem pensa no trauma e na dor que uma criança passa depois de ser abusada ????
é um absurdo disser que isso é uma orientação sexual como qualquer outra... pelo menos o homosexualismo não destrói a pessoa como o abuso faz !

bruno xp disse...

A lei para esses casos é injusta, vemos notíciase relativamente frequentes de namoro/relações entre jovens menores de 18, 16 e por vezes menores de 14 ou 12 anos. Enfim, se uma pessoa de 14 anos possui desejo sexual em relação a outra pessoa de 14 anos e pode tocá-la e se relacionar sexualmente com ela, por exemplo, porquê essa pessoa, quando passa a possuir 18 anos, não é permitida tocar em pessoas menor de 18 anos mais?

Enfim, é uma lógica arbitrária que deveria ser revista. Aos 14 anos todo adolescente praticamente já passou por experiências sexuais. Oferecer um "grupo seleto de idades" para que se relacionem é uma idéia bizarra. Não passa de preconceito religioso assimilado nas mentes por milhares de anos.

Felipe(soldado de cristo) disse...

Bruno, pedofilia é um ato de mostruosidade...e falta de disciplina...pedofilo tem que ser punido!menor de idade não deve se envolver sexualmente com alguém maior de idade...pelo contrário antes deveria ter uma rigida disciplina quanto a assuntos sexuais, não vejo nada de mais em namorar na adolescencia, mais deve ser um namoro santo, sem sexo...




''esta geração preencherá o inferno mais rápido do que qualquer outra geração''leonard ravenhil

o pior é que daqui a pouco vai ter pastor(herege) aprovando isso dai

bruno xp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bruno xp disse...

Felipe

Qualquer contato com adolescente é considerado crime pela lei, não só o ato sexual em sí, quero ver você continuar a defender uma lei dessa, quando você fizer 18 anos e precisar deixar alguém até que essa pessoa complete 18 anos também, nunca vi isso acontecer, mas pela lei seria o correto, o que demonstra como é grande a hipocrisia da sociedade.

joshe46 disse...

sabe de uma coisa tem que matar todos pedofilos que atacam os menores de 14 anos, isto sim, so assim se limpa uma sociedade, vejam o que os israelitas faziam na antiguidade, extirpavam o tal quie cometesse abominaçoes, so assim meus irmaos brasileiros.

tartarugaflash disse...

o adolescente ou a criança não tem a mente formada para tomar essas descisões com clareza... qual foi a menina que nunca teve uma "paixão enlouquecida"por um professor? quando essa menina cresce ve que isso era a maior besteira...se uma lei como essa entra em vigor qualquer paixonite será utilizada pelo pedofelo como desculpa podendo atrapalhar a formação psicológica,e trazer traumas futuros a criança...

Anônimo disse...

Pena de morte pra esses desgraçados

Anônimo disse...

Ser pedófilo não é crime



Ana Cunha
Non!. Portugal, janeiro de 2002.

Publicado também na revista Ultravioleta.





Ser pedófilo não é mau. A relação entre um homem de quarenta anos e uma criança de 11 não é crime (ou, pelo menos, não deveria sê-lo). O amor entre uma mulher de cinquenta anos e um rapaz de 12 não é crime. Ou, pelo menos, não deveria sê-lo. Agora, podemos misturar homens e mulheres (relações homossexuais) e aumentar ou diminuir as diferenças de idade. Não é relevante. O que interessa é que o abuso sexual de menores não pode ser confundido com a pedofilia. Da mesma forma que uma violação não deve servir para classificar no geral as relações sexuais entre duas pessoas com a mesma idade.
Apesar dos preconceitos, a pedofilia faz sentido, tem lógica e, numa sociedade evoluída, poderá vir a ser tão aceite como outra relação qualquer. Porque, na verdade, a pedofilia não implica abuso, tortura ou desvio de uma criança. Porque, de facto, às vezes são as próprias crianças a "seduzir" os adultos. E isso pode, por muito impensável que possa parecer, resultar em envolvimentos saudáveis e equilibrados. A partir dos onze anos, os adolescentes acordam para o sexo. Descobrem o seu próprio corpo, o corpo dos amigos, dos pais e dos irmãos. Aprendem, através da masturbação e do relacionamento com colegas da mesma idade, a sentir prazer. Querem-no, procuram-no, tentam consegui-lo a todo o custo, embora sejam "novatos" na matéria. Ou seja, têm a força, mas falta-lhes a sabedoria da experiência.

Por outro lado, uma pessoa com mais de trinta anos (pode ter mais ou menos, não interessa) tem experiência, rodagem, sabedoria e evolução. Mas começa a faltar-lhe, à força das coisas que já viu, a afectividade e a inocência com que as crianças olham para o mundo. Porque já sofreu muitas desilusões. Porque já criou carapaças que a protegem da dor, das agressões, da sociedade hostil e severa em que vivemos.

Assim, a relação entre um adolescente e uma pessoa mais velha acaba por ser um negócio de sentimentos dos mais lucrativos que existem. O adolescente entra com a alegria e com a força, o adulto oferece orientação, escola e experiência. O primeiro acaba por evoluir mais depressa, sendo poupado às cabeçadas desnecessárias que a vida nos obriga a dar (quando aprendemos tudo às nossas custas). O segundo envelhece mais devagar, por ter a seu lado um poço de energia potencial.

O sexo, nestes casos, acaba por ser apenas uma forma de exprimir amor. Acaba por ser apenas uma forma de tornar físico o que vai na alma dos seres envolvidos. Não há nada de criminoso nisto. Não é nojento nem traumático e não há violência. Trata-se, apenas, de amor. Apenas mais um que a sociedade proíbe (como o amor entre seres do mesmo sexo).

Anônimo disse...

Os gregos (os célebres filósofos, que tanto prestígio e estatuto têm na nossa cultura) foram adeptos da pedofilia (em "O Banquete", Platão refere a diferença entre pedofilia e abuso sexual de menores, explicando também as razões pelas quais a primeira se tornou um pecado aos olhos da sociedade).

A pedofilia não é um crime porque um crime implica violar o espaço de alguém. Julgar que as crianças são anjinhos intocáveis sem sexo, sem desejos e sem vontades é perpetuar um preconceito que, hoje em dia, já não faz qualquer sentido. A nossa sociedade falha (e aí, sim, redondamente) na fiscalização de abusos sexuais sobre menores. Ou seja, na violação do espaço e do corpo de crianças por parte de sujeitos (esses, sim, criminosos, nojentos e deturpados) que usam a força para obter prazer sexual, contra a vontade do parceiro (o que, neste caso, se torna duplamente grave, por se tratarem de crianças indefesas, com menos força e menos voz que os adultos). Há ainda os outros, tão culpados como os primeiros, que praticam o abuso psicológico para, depois, forçarem o acto sexual. Também isso é crime, também isso é violação. Porque as crianças têm força mas falta-lhes a sabedoria. Porque têm potencial, mas falta-lhes orientação e as mentes delas são como terrenos por desbravar, que podem ser tudo e mais alguma coisa. Mas amor não é isso. Ternura não é isso. E pedofilia não é apenas isso. Às vezes, é difícil analisar e reflectir sobre temas que nos causam demasiado terror e repugnância (como a visão de um menino ou uma menina a serem violados por um matulão qualquer). Às vezes, as pessoas preferem afastar essas realidades do pensamento, porque admitir dói e obriga a abrir os olhos para o Mundo que é tudo menos cor-de-rosa. No entanto, a verdade é que o abuso de menores existe. A pedofilia também. E não são a mesma coisa. Ao negarmos estes factos, corremos o risco de cometer ofensas tão graves aos direitos humanos como quem pratica violações (as de crianças e as outras).

Em primeiro lugar porque, ao esquecermos o abuso de menores, deixamos de defender crianças cuja alma grita por um socorro que ninguém ouve (tal é a indiferença com que escolhemos encarar o Mundo hoje em dia); em segundo lugar, porque a falta de reflexão provoca a injustiça tremenda que é o condenar de um amor, cuja natureza pode ser tão ou mais verdadeira, pura e perfeita como a de todos os outros amores...


URL:: http://www.lainsignia.org/2002/enero/soc_010.htm

Cristianismo e Política disse...

Lamentável. Mais uma conquista do movimento gay na sua luta contra o "preconceito" em relação às diversas formas de "orientação sexual". Agora a pedofilia já está sendo incluída.

Kit gay para as crianças na escola já está a caminho. PLC 122/2006, lei para transformar em crime a crítica às preferências sexuais desviantes, também.

Vamos aguardar agora as campanhas do governo, ONGs e mídia contra a "pedofilofobia"...

Anônimo disse...

As pessoas se esquecem de DEUS, cometem atrocidades contra a própria alma e ainda querem ser aceitas na sociedade. Não seria melhor uma vida mais correta? Sexo só no casamento, nada de homoxesualismo e ainda pior: pedofilía???
Imagine uma criança de 2 anos de idade atacada por um pedófilo descomtrolado? E se essa criança fosse seu (a) filho (a)???
Pedofilia é uma vergonha para sociedade.
Que DEUS proteja nossas crianças e limpe a mente dessas pessoas doentes.

Viviane disse...

Meu Deus, aonde vamos chegar? O que dizer para minha filha de 5 anos? Não posso ser contra nada disso apesar de ter "nojo".SOCORRO! Mundo cruel, desumano, sujo,nojento,infernal,etc
pedofilia é crime sim! Com violência ou não é crime sim!
Não podemos ser coniventes a isso!

Daisuke Aoki disse...

Tem 2 problemas em si com a pedofilia:

Não há problema em se sentir atraído por menores, o problema é ABUSAR deles. Isso implica até mesmo namorar, já que pode afetar o caráter não-formado do menor, pois este ainda não tem total conciência de seus atos, nem formação total de opinião/caráter, o que leva o mesmo (o menor) a ser facilmente manipulado (ABUSO, seja ele intencional ou não). Porém, os pedófilos "criminosos" são aqueles que tem "impulso sexual descontrolado". Seria comparável à ver uma mulher com um "decote atraente", pular em cima dela e começar a mamá-la.

O segundo problema é a caietação da sociedade e as leis. É fato que a situação quando vc (rapaz) tem 18 anos e sua namorada tem 16, vc fica entre "a cruz e a espada", visto que há atração sexual consentida, porém, legalmente, ela poderia prestar queixa por "sedução de menores". O maior problema ainda é ver a variação da velocidade do amadurecimento das pessoas conforme as gerações. Ex.: há 50 anos atrás, as meninas não podiam saber o que era sexo, até o casamento. Há 100 anos atrás, qualquer um com mais de 5 anos sabia o que era sexo. Hoje em dia, a média é aos 10 anos.

O que precisamos é que a sociedade aceite e encorage o tratamento psicológico/psiquiátrico anti-pedofilia, sem ter preconceito. imaginem a seguinte situação: um cara, que nunca fez mal a ninguém, tem tendencias pedofílicas e vai ao psiquiatra para tentar tratar-se, de forma a controlar seu "interesse/orientação sexual". Imaginem que esta história tenha 2 finais:

1- O psiquiatra, tomado pela raiva, preconceito ou idéia de "sociedade limpa" (facismo), receita uma overdose de remédios para o paciente (sem este saber). O paciente morre. Ocorreu uma injustiça, visto que ele AINDA não fez nada, mas aos olhos de alguns, foi um ato de heroísmo (antes previnir do que remediar).

2- imagine que o doutor começa a tratar este paciente, de forma a ajudá-lo. Agora, o preconceito volta-se contra o doutor, sendo acusado de apoiar um monstro, ser um ele mesmo, apesar dele estar fazendo o correto. (caça às bruxas)

O problema é que SÓ TEM EXTREMISTA NESTE MUNDO. Ou o cara é um cético total, ou um religioso afinco. 8 ou 80.

Espero que este texto ajude a todos a refletirem sobre o assunto. =D

Daisuke Aoki disse...

*caietação = aceitação

pequeno erro de escrita

Daisuke Aoki disse...

Quando digo "caça as bruxas" quero me referir à quando um amigo de uma bruxa na idade média (sem que este soubesse que ela era uma, ou mesmo ela não sendo), os 2 acabavam queimados na fogueira.

Ou comparável à reação das pessoas quando um médico faz uma cirurgia para salver um traficante de drogas.

Valentina, uma mulher que fala disse...

ORIENTAÇÃO OU NÃO, NADA DE ACHISMOS E SIM AÇÃO= PENA DEMORTE!

Valentina, uma mulher que fala disse...

EU E MEU BLOG APOIAMOS A CAUSA CONTRA VIOLENCIA CONTRA A MULHER E CRIIANÇAS
VALENTINA
http://pravocemulheratual.blogspot.com

Amanda disse...

/\

"O problema é que SÓ TEM EXTREMISTA NESTE MUNDO. Ou o cara é um cético total, ou um religioso afinco. 8 ou 80."

Anônimo disse...

Meu Deus, olha só como é perversa a mente de um pedofilo, capaz de pensar que uma criança seduz um adulto!!!
Pois digo o meu abusador deve ter pensado a mesma coisa quando eu tinha 5 anos de idade e minha mãe pedia pra esposa dele cuidar de mim pois ela precisava trabalhar aos 5 anos de idade será que eu era capaz de seduzir um homem de 40 anos, que me feriu me machucou, me torturou pscicologicamente e agrediu meu corpinho franzino, acredito que até este momento não sabia oque era sangue, e vi com toda dor do mundo sair de dentro de mim aquele sangue maldito, forçado... Este adulto que abusou de mim até os 12 anos, Hoje estou vivendo muito bem sim senhores pedofilos, proterores destas leis malditas!
Não tenho vida sexual,tenho medo de qualquer homem que se aproxime, tenho 26 anos e sofro de depressão profunda, transtorno bipolar, anorexia e toque!
A culpa de tudo isso foi de um homem que eu pensa que eu o seduzi e ainda gostei da violencia...
Tenho 26 anos, sou Adm, e infeliz!!!

Daisuke Aoki" disse...

"Meu Deus, olha só como é perversa a mente de um pedofilo, capaz de pensar que uma criança seduz um adulto!!!"

Isso acontece em qualquer distúrbio sexual. Estupradores acham que suas vítimas estão seduzindo eles. Nem tenho comentários para quando esse distúrbio alcança a zoofilia.

shadowdark disse...

ao anonimo pedófilo: quando vc for defender um crime vc mostra a cara primeiro blz?! e segundo que crianças não tem capacidade e personalidade de criar uma outra criança se caso esse ``amor´´ dar merda!!!

Anônimo disse...

Quando um pedófilo acaricia uma criança de um ano de idade, por acaso é amor? E aí, o que fazer nesse caso? Aceitar a pedofilia?

Acredito que muitas mentes doentias estão chegando ao poder e com ela seus desejos corruptos, impuros e imorais!

Essas pessoas precisam sim, de uma lição de moral! Queria ver o que esses homens fariam se um homem de 50 anos tivesse uma "relação sexual de amor" com a filhinha deles de 5 anos.

Imorais, isso o que são!